quarta-feira, 14 de Agosto de 2013 06:55h Carla Mariela

Vereador aponta que iluminação pública de rodovias deveria ser atribuição da Nascentes das Gerais

Em contrapartida, o assessor da concessionária disse que a iluminação é de responsabilidade do poder público

O vereador Edimilson Andrade (PT) compareceu recentemente à Gazeta do Oeste para se pronunciar sobre as demandas que estão chegando a seu gabinete sobre a iluminação pública nas rodovias. Para o parlamentar, esse assunto o preocupa pelo fato dos cidadãos terem questionado para o mesmo como funciona a questão da fiscalização e da manutenção em relação a iluminação pública. 


De acordo com o vereador, o cidadão normalmente já faz o pagamento da iluminação pública e ao mesmo tempo este quando usa as MG’s, paga para a concessionária Nascentes das Gerais o pedágio no valor de R$ 4,40.


Edimilson Andrade, não acha justo que o usuário, consequentemente o município arque com a despesa referente à iluminação pública das rodovias, uma vez que para ele, esta deveria ser uma atribuição da concessionária Nascentes das Gerais.


Ainda conforme o vereador já foi feito à secretaria de Obras, um pedido de levantamento da origem de recursos e da manutenção acerca da iluminação. “A minha assessoria entregou este pedido para a atendente da secretaria de Obras que ficou de encaminhar o levantamento para o secretário Dreyffus Rabelo. Por telefone eu já tive a informação que é Divinópolis que banca tudo, tanto consumo, quanto a manutenção das lâmpadas quebradas”, destacou.


Em contato com a assessoria da concessionária Nascentes das Gerais, a reportagem da Gazeta obteve a informação que sobre a iluminação do Sistema MG-050/BR-265/BR-491, este item é de responsabilidade do poder público. O contrato de concessão da rodovia também não contempla a manutenção da iluminação da via.


Já em contato com a prefeitura na segunda-feira, a comunicação do Executivo, disse que realmente teve essa solicitação de levantamento de dados, mas que, porém, como o pedido foi feito na sexta-feira passada, a secretaria ainda está avaliando o assunto para depois dar uma posição mais concreta. A reportagem tentou ontem mais uma vez o contato com o secretário de Obras, Dreyffus Rabelo, para explicar como funciona a manutenção, fiscalização e custo relacionado com a iluminação, mas o secretário encaminhou uma mensagem explicando que se encontrava no hospital e que depois retornava, mas até o fechamento desta edição, a reportagem não obteve resposta.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.