sábado, 30 de Abril de 2011 11:32h Atualizado em 30 de Abril de 2011 às 11:34h. Flávia Brand?o

Vereador Beto Machado leva denúncia de possível corrupção à Câmara Municipal

Informação é que R$200 mil seriam destinados a autoridades para aprovação de projeto

O vereador Beto Machado (PSDB) durante seu pronunciamento na última reunião da Câmara Municipal de Divinópolis, dia 28, afirmou que recebeu uma denúncia grave a respeito de um possível repasse de R$200 mil a autoridades para garantir a aprovação do Projeto CM047/2010, que regulamenta a ocupação de trechos, ao longo da faixa inundável do Rio Itapecerica. O vereador pediu providências ao presidente da Câmara Pastor Paulo César (PRB) e por meio de ofício formalizou seu pedido para que a Comissão de Ética do Legislativo seja acionada para apurar as possíveis irregularidades. 


Segundo o vereador Beto Machado o seu pronunciamento tem como intuito apurar essa denúncia para que a corrupção não possa fazer parte de Divinópolis “O meu pronunciamento foi no sentido de alertar sobre essas questões e se realmente isso existir, tem que ser apurado. E as pessoas, após a apuração sejam punidas e também as autoridades, que hora poderiam estar induzidas a receber esse valor de R$200,00 mil reais. Nós deixamos isso bem claro para que não possa ocorrer corrupção na cidade de Divinópolis”, declarou


Beto Machado afirmou em entrevista ao Jornal Gazeta do Oeste que o projeto trata das áreas de zoneamento próximas aos shoppings DiviShop e Pátio Divinópolis, que há muito tempo tramita na Câmara e gera polêmica. “Trata-se de uma mudança de zoneamento, mudança de construção ali próxima aos shoppings, portanto nós estaremos apurando. A denúncia nos chegou de forma extraoficial, temos que preservar a fonte. Tornei isso público porque realmente é grave e porque depois do fato consumado as coisas se tornariam difíceis de serem apuradas”, ressaltou o vereador.


Ainda de acordo com o vereador a denúncia não revelou quem seriam as autoridades que receberiam o dinheiro. “A denúncia, que chegou é que seriam autoridades, mas não chegou a dizer quem são elas. Mas esperamos que isso venha à tona, apesar de que o fato não foi consumado e com esse nosso pronunciamento pode ocorrer que aqueles que estavam arquitetando possam retroagir e mudar o sentido de não mais utilizar desse mecanismo horroroso que é a corrupção”, finalizou.
 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.