sexta-feira, 25 de Novembro de 2011 10:36h Flávia Brandão

Vereador busca alternativas para evitar transtornos frente ao fechamento da COHAB na cidade

Escritório regional foi fechado devido queda na demanda de serviços

Com objetivo de discutir o fechamento do escritório regional, em Divinópolis, da Companhia de Habitação do Estado de Minas Gerais - COHAB/MG, buscando alternativas, de modo a não causar transtornos para os usuários dos serviços, o vereador Rodyson do Zé Milton (PSDB) estará, na próxima semana, em reunião, com o supervisor da Companhia, Magide Figueiredo, na Região Centro-Oeste, para debater o assunto e sugerir propostas.
O vereador justifica a luta, uma vez que trabalhou muitos anos na unidade da COHAB/MG, em Divinópolis, e sabe o quanto é benéfico ter a presença da Companhia atendendo o município e região. Em Divinópolis, ele cita que os Bairros Danilo Passos I e II e Residencial Lagoa dos Mandarins II estão dentro do regime COAB. “Sei da dificuldade da população em receber a boleta em casa, retirar uma 2ª via da prestação da casa. Além disso, existe a dificuldade do pessoal no Bairro Danilo Passos I e II para ter a escritura definitiva, já que é preciso orientações do supervisor regional”, declarou.


Rodyson  diz que entre as funções da regional estava distribuição das casas, 2º via de boleto, negociação de dívida em atraso, escritura definitiva, seguro, etc. O fechamento do escritório, segundo o edil,  foi em face da queda na demanda pelos serviços.  “Há 20 anos, Divinópolis tinha o problema do Danilo Passos I e II em vigência e agora já não tem mais, já foram quitados”, declarou. Ele conta que além do vencimento do Tempo de Prazo (TPZ) do financiamento do Danilo Passos I e II, os empréstimos direcionados a educadores e Polícia Militar do Estado, que utilizaram o recurso da COHAB para a habitação, também venceram. “O que tem vigência em Divinópolis é somente o conjunto Lagoa dos Mandarins II, que está em vigência de pagamento e irá demorar mais 15 anos. Só que são 200 casas da COHAB e não tem essa demanda para ter um escritório regional”, explicou.


Expectativa 


O parlamentar conta que havia expectativa de que o Conjunto Lagoa dos Mandarins fosse aumentando, no entanto a ideia foi inviabilizada já que ocorreu a mudança do eixo principal da Rodovia MG-050 para dentro do terreno do Estado, que era o local onde iriam ser construídas mais 400 casas populares no regime COAB. “Infelizmente, por enquanto nós estamos suspensos com mais números de casas habitacionais via Estado, COAB”, declarou Rodyson.


Alternativa


Rodyson disse que irá propor como alternativa frente ao fechamento do escritório a celebração de um convênio COHAB/Correios para que seja realizada entrega das boletas referente ao Conjunto Lagoa dos Mandarins II. “Também irei me colocar a disposição para ser o interlocutor dos moradores do Danilo Passos I e II para resolver a escritura definitiva do imóvel”, prontificou. O vereador salientou ainda que irá verificar a possibilidade de firmar convênio, via Unidade de Atendimento Integrado (UAI), para ter um guichê em Divinópolis para emissão de boletos e execução de procedimentos mais simples como “negociação de prestação e vigência” dos financiamentos.
Mutirão
Em relação às escrituras definitivas dos imóveis, o edil pretende propor um mutirão para orientar as pessoas, que ainda não retiraram o documento.  “Eu vou propor pelo conhecimento técnico, que eu tenho, de ex- funcionário da COAB, de ser um voluntário para ajudar essas pessoas a conseguirem a escritura definitiva. Então estaria fazendo um mutirão para poder ir a Belo Horizonte para tentar resolver o problema das escrituras, que ainda faltam”, declarou.


COHAB


De acordo com informações do Governo do Estado, a Companhia de Habitação do Estado de Minas Gerais - COHAB-MG foi criada em 18 de agosto de 1965 com a finalidade de combater o déficit habitacional e urbanizar vilas e favelas no Estado. A iniciativa visou responder ao desafio do êxodo rural e da migração populacional para os grandes centros urbanos: conseqüência da busca de oportunidades produzidas pela transformação econômica e social que o País e Minas Gerais viveram na década de 60. Assim como hoje, a COHAB-MG - responsável direta pela concepção e execução de políticas que visam reduzir o déficit habitacional em Minas Gerais - incumbiu-se de enfrentar essa grande tarefa.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.