terça-feira, 28 de Junho de 2011 19:01h Atualizado em 29 de Junho de 2011 às 12:03h. Flávia Brandão

Vereador cobra adaptações nos conjuntos habitacionais

Anderson Saleme afirma que casas adaptadas para deficientes não estão sendo construídas

O vereador Anderson Saleme (PR) afirmou, ontem (28), durante a reunião ordinária da Câmara Municipal, que em visita ao primeiro conjunto habitacional do Projeto “Minha Casa Minha Vida” de Divinópolis foi verificado que a legislação municipal, que prevê que 10% das casas devem ser destinadas aos deficientes físicos não está sendo cumprida, uma vez que as mesmas não estão sendo construídas com as adaptações necessárias. O parlamentar afirma que entrou em contato com o vice-prefeito, Francisco Martins (PDT), e que ele não explicou porque o primeiro conjunto não estava contemplando as adaptações e agora o vereador recebeu denúncias de que nem o segundo conjunto terá as adaptações.


De acordo com o parlamentar as adaptações são necessárias principalmente para os cadeirantes,  casas com portas largas e acessibilidade ao banheiro. Anderson afirma ainda que os cadeirantes, conforme prevê a legislação, deverão ter a casa em local de melhores condições de acesso. O parlamentar receia que as casas destinadas aos deficientes não atendam os cidadãos contemplados. “ As casas têm que ser  construídas dentro dos padrões  que eles necessitam porque se você é contemplado com uma casa, que não tem condição de moradia isso não tem sentido”, declarou o vereador.


Outra questão apontada pelo parlamentar é o fato de todas as casas destinadas aos deficientes se concentrarem no terceiro conjunto. “Todas as conversas foram feitas no sentido de reservar em cada um dos conjuntos as casas destinadas aos deficientes e aos idosos. Porque quem garante que todos os conjuntos serão construídos? Se constrói um conjunto, que respeite a lei nesse primeiro, se constrói mais um que a lei seja também respeitada e não concentrem em único local todos os deficientes e idosos contemplados. Não é justo, não é essa a intenção da lei, mas sim distribuir de forma equilibrada”, declarou.


O vereador afirma que o vice-prefeito não soube explicar porque as casas do primeiro conjunto não foram construídas com as adaptações necessárias, mas ficou de retornar a ligação do parlamentar.  Anderson disse que não tratou do assunto com o prefeito Vladimir Azevedo (PSDB). “Não tratamos desse assunto com o prefeito, mas ele certamente é um dos que precisa explicar melhor porque isso no primeiro conjunto não foi contemplado e as denúncias apontam que no segundo também não”, finalizou o vereador.


De acordo com informações do vice-prefeito, Francisco Martins, esses questionamentos a respeito da não adaptação das casas para os deficientes foi feito por ele ao vereador Anderson. “Gostaria de esclarecer que fui eu quem passou este questionamento para o vereador Anderson para podermos discutir sobre o assunto. O que aconteceu foi que o Governo Federal, só obrigou os municípios a instalar as adaptações nos conjuntos, depois do primeiro conjunto ter sido construído. Então o segundo e o terceiro conjuntos em construção em Divinópolis, já estão sendo adaptados. O erro foi por parte do Governo Federal, não nosso", declarou.


Ainda de acordo com o vice-prefeito é preciso discutir muito sobre o assunto, visto que a alguns deficientes, por exemplo, falta uma perna e não necessitam de uma casa modificada, ou seja, poderão ocorrer situações  de trocar alguns moradores deficientes de conjuntos."Ainda temos que discutir sobre aqueles deficientes, que não necessitam de casas adaptadas. Porém, neste momento estamos por conta das listagens e ainda não temos datas definidas para marcarmos reuniões para debater este assunto", afirmou o vice-prefeito.


De acordo com Sebastião Fernandes, engenheiro da Construtora D'ávila Reis, responsável pelo conjunto Habitacional 'Elizabete Nogueira', no bairro Quinta das Palmeiras, estão sendo feitas rampas e banheiros mais largos para a passagem das cadeiras de rodas.  Já em relação ao conjunto habitacional ‘Copacabana’, não é de responsabilidade da empresa D'ávila Reis, e por isto, o engenheiro não soube informar sobre as adaptações do terceiro conjunto.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.