quinta-feira, 9 de Fevereiro de 2012 09:06h Atualizado em 9 de Fevereiro de 2012 às 10:38h. Flávia Brandão

Vereador conflita papéis em plenário

Secretário de Governo não vê conflitos e diz que não há pretensão para mudança de líder

Ora líder do governo, ora assumindo a presidência da Câmara Municipal de Divinópolis. Esse tem sido o duplo papel do vereador e vice-presidente da Mesa Diretora, Edmar Rodrigues, nas recentes reuniões do Legislativo Municipal, quando há ausência do presidente Anderson Saleme (PR) no comando das reuniões. O conflito entre as funções se mostra visível já que Edmar mesmo nas ocasiões, que ocupa a presidência usa, certas vezes, da palavra para defender e responder pelas ações e ideias do governo, atuando como líder.  
Edmar Rodrigues diz que não se vê em dupla função. “Como vice-presidente eu simplesmente vou atender ao pedido do presidente da Casa, quando ele me pedir para representá-lo em algum local ou às vezes, quando ele for ausentar do plenário e eu possa assumir a presidência da Câmara”, disse.  O edil ressaltou que já foi presidente da Casa e agora ter seu nome como vice-presidente é uma grande honra e seu desejo é somar com os vereadores.
A reportagem questionou o fato que vem acontecendo nas últimas reuniões, nas quais o edil ao assumir a presidência – na ausência de Anderson - atua também como líder, por certas vezes, defendendo as idéias e ações do Executivo. “Não tem nenhum conflito eu tenho o horário certo de fazer a defesa como líder do governo, depois a fala dos colegas vereadores. Nós temos também o vice-líder, que é o Antônio Paduano, que pode também na minha ausência ou na presidência da Câmara fazer a defesa”, alegou Edmar.
Edmar manifestou que está à disposição do Governo e da Câmara Municipal. “O que eu quero é tentar ajudar a administração do Vladimir Azevedo como também da nossa Casa e tentar a harmonia entre os dois poderes”, disse.
A reportagem questionou o fato a presidência da Câmara se não seria conflitante duas funções em plenário. Em resposta, Anderson Saleme (PR) explicou que um dos papeis do vice-presidente é substituir o presidente, quando esse tem que assinar papéis, atender a imprensa ou mesmo dar andamento a outras demandas. Destacou ainda que na presidência, o vice meramente direciona o pronunciamento dos colegas e não expressa nessa passagem pró ou contra governo. Apesar de expressar não ter conflitos nas funções, Saleme disse que irá “se policiar” evitando deixar a presidência durante as reuniões ordinárias.
Executivo
O secretário de Governo, Antônio Faraco, afirma que não há nenhuma intenção do prefeito Vladimir para mudança do líder na Câmara Municipal. Faraco avalia que não há nenhuma incompatibilidade do vice-presidente atuar como líder do Governo e diz ainda que a “proximidade” com o Executivo seja pelo vice-presidente ou pelo próprio presidente é vista e comum nas próprias esferas estadual e federal.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.