segunda-feira, 26 de Outubro de 2015 09:52h Atualizado em 26 de Outubro de 2015 às 09:56h. Jotha Lee

Vereador diz que Hospital São João de Deus caminha a passos largos para a iniciativa privada

O vereador Marquinhos Clementino (PROS), um dos mais lúcidos da atual legislatura , fez revelações importantes e perigosas na sessão da Câmara da última quinta-feira

Em uma sessão em que o tema corrupção foi predominante, Marquinho Clementino deixou claro ter informações indicando que o Hospital São João de Deus (HSJD) pode ser entregue à iniciativa privada a qualquer momento. Atolado em uma crise que se arrasta desde 2012, com uma dívida impagável de R$ 120 milhões, serviços suspensos, redução de pessoal e administrado por interventores que não conseguiram em mais um ano reduzir o tamanho da crise, o futuro do hospital, que durante 40 anos atendeu de forma soberba à população de Divinópolis e região, é uma incógnita. 
O vereador foi categórico ao afirmar que, apesar dos esforços, a recuperação do hospital não tem apresentado resultados práticos. “A gente observa que por mais que o governo federal e o governo do Estado tenham buscado uma parceria para sanar os problemas do hospital São João de Deus, isso não tem acontecido”, afirmou. “Eu disse anteriormente que é preciso deixar as mazelas de lado, mas eu acho que o problema vai além de mazelas, no que diz respeito à direção do Hospital e do próprio Ministério Público”, acrescentou.
A revelação feita pelo vereador é preocupante e ele citou, inclusive, nomes de empresas que estariam interessadas em adquirir o HSJD. Sem fazer referência direta, o vereador transmitiu o entendimento de que está havendo pouco interesse da administração em sanear o hospital, diante da especulação comercial. “Eu não quero aqui fazer juízo de valor, mas a gente sabe que algumas empresas, como a Amil e a própria Unimed [planos de saúde] têm interesse naquele espaço”, assegurou. “Da mesma forma que o Hospital São Judas deixou de atender pelo SUS, foi leiloado, o São João de Deus caminha a passos largos para isso também”, sentenciou.

 

DESAMPARO
Para Marquinhos Clementino, a ida do HSJD para a iniciativa privada está se desenhando com mais velocidade do que se imagina. Disse que a esperança é o Hospital Público, cuja inauguração também ainda é incerta. “Enquanto o hospital público não fica pronto, a população vai ficando desamparada. É importante que analisemos com carinho se as ações que estão ocorrendo no São João de Deus, não têm um interesse para que acabe nessa situação [ser leiloado]”, avaliou.
Para o vereador do PROS, a situação é muito mais séria do que o tratamento que vem sendo dado pelas autoridades. “Vocês já imaginaram a possibilidade do São João de Deus ser leiloado para uma dessas empresas e passe a atender somente planos de saúde? Como a cidade vai fazer com as pessoas que dependem do SUS?”, questionou.  “É uma situação muito séria, que a gente fala em tom de desabafo, mas quando se fala em corrupção, eu já disse, tem a corrupção explícita e a corrupção implícita. E, nessa situação, nós temos que apurar melhor, porque ao que tudo indica, a coisa não está sendo feita com total transparência”, finalizou.

 

Créditos: Liziane Ricardo

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.