sábado, 12 de Novembro de 2011 08:41h Flávia Brandão

Vereadores apontam descaso do Governo Vladimir no retorno a suas indicações

Edis da base afirmam que secretários e servidores fazem “Câmara Paralela” no Executivo

Os vereadores Geraldinho da Saúde (PR) e Roberto Bento (PTdoB) criticaram na última reunião ordinária da Câmara Municipal de Divinópolis o fato do prefeito Vladimir Azevedo (PSDB) e sua equipe estarem “faltando com respeito” em relação as indicações enviadas com objetivo de atender demandas de infra-estrutura da população. Os edis, que são da base de Vladimir, resolveram não apenas criticar a postura do Governo, mas também revelar que existe uma “Câmara Paralela” na Prefeitura onde secretários e servidores são pré-candidatos e já trabalham de forma a favorecê-los nas eleições de 2012.


Geraldinho da Saúde (PR) afirma que recebe em seu gabinete várias demandas da população e as repassa em forma de indicações a Prefeitura de Divinópolis. No entanto - apesar de ser da base de Vladimir - a maioria das indicações não é atendida ou sequer respondida. “Nós vamos caindo no descrédito, porque desde 2009 existem algumas indicações nossas no que tange a questão de obras e não são respondidas”, declarou.


A respeito da existência de uma “Câmara Paralela” no Executivo, Geraldinho conta que existem vários pré-candidatos, que trabalham para atender as demandas, que lhes convém. O edil salienta que faz parte do processo a existência desses pré-candidatos, mas o que “não pode” acontecer é o desrespeito com as indicações do Legislativo Municipal. “O que não pode é chegar à demanda da população e parar na ironia de um profissional que diz que o vereador não tem poder de fazer obra. Claro que não temos, mas somos representantes legítimos do povo e estamos levando a demanda da comunidade”, declarou.


Roberto Bento criticou também essa “Câmara Paralela” e disse que não é apenas uma, mas sim várias diante da quantidade de secretários, funcionários, diretores, chefes, que são pré-candidatos. “Não somos contra essa Câmara Paralela, somos contra a falta de respeito que o prefeito está tendo com essa Casa e com os vereadores. As reivindicações dos funcionários, das lideranças comunitárias, que está ligada ao partido do prefeito são atendidas e a Câmara não”, declarou.


Reivindicação


Geraldinho afirmou que compete ao Governo Municipal sentar com todos os vereadores e respeitá-los enquanto representantes do povo. “Quando chegar indicações de vereadores para atender comunidades tem que ser analisado pela carência da comunidade e não politicamente”, declarou.


Vergonha


Geraldinho considera uma “vergonha” o município não ter ainda um “projeto grande e inteligente” para que não seja preciso o Legislativo encaminhar pedidos de calçamento. Ele aponta como saída a busca de recursos no Ministério das Cidades e cabe o prefeito apresentar projetos e recorrer a Brasília. Além disso, ele afirma que é preciso haver planejamento para que mudanças ocorram nesse modelo atual de pedido de obras de calcamento. “Está na hora de pensarmos em um projeto inteligente, nem que seja o cidadão pagando um pouco, mas que seja através de guias, onde o usuário e o vereador não tenham que fazer interferência”, declarou. Questionado se está faltando ação do prefeito no sentido de buscar recursos federais, Geraldinho disse no que tange a calçamento “com certeza”. “Se nós ainda temos que depender  de favores para pedir e fazer indicações para ser atendido em calçamentos falta um projeto inteligente por parte do prefeito”, criticou

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.