sexta-feira, 23 de Outubro de 2015 09:31h Atualizado em 23 de Outubro de 2015 às 09:36h. Jotha Lee

Vereadores são apresentados à ONG de combate da corrupção

A sessão de ontem da Câmara Municipal foi marcada pela presença do empresário Geraldo Barros, fundador da organização não governamental Instituto Brasil Novo

A sessão de ontem da Câmara Municipal foi marcada pela presença do empresário Geraldo Barros, fundador da organização não governamental Instituto Brasil Novo, criada com o objetivo de discutir a política da cidade, fiscalizar a aplicação dos recursos públicos e, principalmente, combater a corrupção no meio político. A presença do empresário, que discursou durante 10 minutos na Tribuna Livre, causou certo constrangimento, já que uma das metas da ONG é trabalhar pela redução salarial dos vereadores.
Com a presença de mais de 60 alunos do 9º ano da Escola Estadual São Tomaz de Aquino, que acompanharam atentamente e aplaudiram a apresentação do Instituto Brasil Novo aos vereadores, Geraldo Barros falou sobre os principais objetivos da ONG e condenou ferozmente a corrupção que está enraizada na política brasileira. “O que me trouxe aqui hoje, não foi uma questão de opção, de escolha, foi uma necessidade”, discursou. “Eu estou realmente surpreso com a grande quantidade de pessoas que me pediram para criar essa ONG”, garantiu.
Geraldo Barros disse que a população está pedindo socorro. “A população pede ajuda, mas hoje está com aversão aos assuntos políticos. Quando se fala que determinado cidadão vai ser candidato a vereador, a prefeito, as pessoas simplesmente desmancham a roda”, garantiu. O empresário afirmou sua presença na Câmara tinha como objetivo representar a indignação da população de Divinópolis. “Não estou aqui em nome de nenhum partido político, represento o povo de nossa cidade”, discursou.

 

 

CONFRONTO
Como o principal objetivo do Instituto Brasil Novo confronta com interesses políticos, especialmente dos vereadores, já que uma das metas é reduzir os salários pagos aos parlamentares, Geraldo Barros esclareceu que sua presença na Câmara era para apresentar a nova ONG, cuja diretoria será empossada às 19h do próximo dia 26, em solenidade marcada para o auditório da Câmara de Dirigentes Lojistas. “Estou aqui hoje não para um confronto de ideologias, mas para somar forças. Um dos nossos objetivos é combater sistematicamente a corrupção”, assegurou.
De acordo com o empresário, mais de 120 pessoas estão diretamente envolvidas com o Instituto Brasil Novo. “Nosso objetivo é filiar mais de vinte mil pessoas e numa terceira etapa chegar a trinta mil até 2018”, informou. Geraldo Barros disse ainda que através dessa união, a ONG pretende mobilizar as pessoas a denunciarem atos de corrupção. “A partir das denúncias, a ONG vai investigar o caso e ver se há consistência, para que o Ministério Público seja acionado. Sabemos que existe prática de corrupção em todos os setores da vida pública e isso é inadmissível. O corrupto tem que ser banido da vida pública”, avaliou.
Geraldo Barros disse que a ONG quer despertar a consciência política das pessoas. “Quando as pessoas não têm consciência política, elas aceitam tudo que vem de cima para baixo e, se nós queremos reverter essa situação, temos que começar de baixo para cima. Nada vai nos afastar do nosso direito, nada vai nos tirar o direito de saber o que está sendo feito com o dinheiro dos impostos que pagamos. Não existe dinheiro público, existe o dinheiro dos impostos que pagamos e vamos exigir essa transparência na cidade”, analisou.
Para finalizar, Geraldo Barros disse que o povo não pode ter medo de participar das decisões e de cobrar resultados. “Muitas decisões que vêm de Brasília, de Belo Horizonte e mesmo que saem dessa Casa, não batem com os interesses coletivos. Temos que nos unir, temos que agir e lembrar que na individualidade, nós somos fracos, mas no coletivo, somos fortes”, finalizou.

 

COMISSÃO DE ÉTICA
O relatório do processo administrativo instaurado pela Comissão de Ética contra o vereador Hilton de Aguiar (PMDB), acusado de quebra de decoro pelos ataques feitos contra o médico plantonista da UPA 24h, Alberto Gigante Quadros, não foi lido na sessão de ontem, conforme a previsão feita pelo vereador Oriosmar Pinheiro, o Careca da Água Mineral (PROS). Na qualidade de presidente da Comissão, ele informou na terça-feira passada que o relatório já está concluído e que deveria ser lido ontem. Ontem o presidente da Comissão de Ética explicou que, por orientação da Consultoria Jurídica da Câmara, foi dado um prazo de cinco dias para o vereador Hilton de Aguiar apresentar sua defesa e que o relatório será lido na semana que vem. A reportagem do Gazeta do Oeste apurou que o relatório deve recomendar uma advertência por escrito a Hilton de Aguiar.

 

Créditos: Jotha Lee

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.