Vereadores tiram dúvidas sobre “Cidade Tecnológica”

Após reunião para debater “Cidade Tecnológica” presidente afirma que está convicto que pedidos de sobrestamentos e solicitações de vistas para mais análise do projeto sejam derrubados.

O presidente da casa legislativa de Divinópolis, Rodrigo Kaboja (PSL), realizou um balanço ontem em entrevista a Gazeta, à tarde em seu gabinete, sobre o encontro que teve com demais vereadores após a 1ª reunião ordinária, para debater a lei de implantação da Cidade Tecnológica.
De acordo com Kaboja, o balanço que ele faz é positivo, uma vez que, ao assumir a presidência da câmara, houve uma conversa antes com os membros da mesa diretora para que todos os projetos de interesse do município fossem trabalhados no sentido de esclarecer o que se trata a proposta.
Segundo ele, todos os vereadores que participaram da reunião, manifestaram suas opiniões e saíram conforme o presidente, favoráveis a este projeto. Para Kaboja com a instalação da Cidade Tecnológica, serão implantadas na cidade empresas limpas com o intuito de apresentar trabalho, moradia e lazer. Ele ainda explicou que esta ação já deu certo em vários municípios.
Entretanto, o presidente disse que é preciso viver de expectativa com relação a empresas. “A nossa economia era siderúrgica e confecção. Tínhamos 2.000 fábricas, hoje nós temos se eu não me engano 200 fábricas. Na área de siderúrgica até o final do ano deve ficar só a Gerdau. Tenho a expectativa de Divinópolis crescer e ficar no topo das melhores cidades de Minas Gerais. Sempre ficamos entre as cidades que mais arrecada e hoje isso não acontece”, frisou.
Sobre a demora da aprovação deste projeto, o parlamentar relatou que na sua concepção é justamente pelo fato de algumas pessoas não terem o conhecimento da lei. “Vereadores como o Dr. Delano Santiago, por exemplo, que não tinha conhecimento, teve as suas razões para fazer o seu pronunciamento e já com a sua participação na reunião ele teve a satisfação de participar do encontro. Lógico que para se implantar um projeto deste porte, este tem que passar por várias etapas e acho que estamos perdendo tempo. A câmara vai ficar para a história com a aprovação deste projeto”, enfatizou.
Na reunião participaram vários empresários, ambientalistas, dentre outros. Kaboja afirmou que o encontro foi importante, pois técnicos sanaram as dúvidas de quem estava presente. “Vários empresários estiveram no encontro e fizeram suas explanações, como Antônio Carlos Pulinho, da metalúrgica Candides, que tem 50 anos que participa ativamente do desenvolvimento de Divinópolis. Teve também a presença do representante da Universidade Federal de São João Del Rei que também está ansioso pela aprovação do projeto”, declarou.
O presidente encerrou dizendo que está convicto que o projeto seja a salvação para Divinópolis crescer. E que não se pode deixar de votar a proposta dia 11. “Esta é a expectativa da maioria da população que quer ver Divinópolis voltar o seu crescimento. Nós estamos tentando ser democráticos porque eu acho que o vereador tem que mostrar seu posicionamento, ou ele é contra ou ele é a favor. Eu estou tendo paciência. Eu tenho a prerrogativa de negar o pedido de sobrestamento ou vista, mas como eu quero tratar os vereadores com igualdade, com respeito, transparência; vou colocar o projeto EM 073/2013 mais uma vez em votação. Eu acredito que dessa vez com esse esclarecimento o pedido de sobrestamento e vista serão derrubados pelo plenário. Tenho a convicção que este projeto seja aprovado no dia 11”, encerrou.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.