sexta-feira, 21 de Fevereiro de 2014 06:30h Atualizado em 21 de Fevereiro de 2014 às 06:32h. Carla Mariela

Vice-presidente da câmara pronuncia sobre emenda de sua autoria para “Cidade Tecnológica”

O vice-presidente da mesa diretora da casa legislativa de Divinópolis, Marcos Vinícius (PSC).

O vice-presidente da mesa diretora da casa legislativa de Divinópolis, Marcos Vinícius (PSC), durante pronunciamento em reunião ordinária, relatou sobre a emenda que elaborou referente ao projeto de lei “Cidade Tecnológica”. Segundo o parlamentar, a sua preocupação é com a garantia de que este projeto funcione com interação entre as empresas, a geração de empregos com conjuntos habitacionais, residência e nas zonas rurais.
Para o parlamentar, o projeto “Cidade Tecnológica” é uma inovação que pode dar certo apesar de ser uma proposta complexa. Ele esclareceu que como a lei tem o objetivo de construir casas, conjuntos habitacionais, são necessárias que junto com estas construções venham às empresas com os empregos, uma vez que a justificativa do projeto é exatamente a geração de renda.
Entretanto, Marcos Vinícius informou que a câmara municipal vai dar uma autorização legislativa para que esse investimento seja feito na zona rural. “A nossa preocupação é garantir que a Cidade Tecnológica funcione com os conjuntos habitacionais, com as residências e empresas. Nesse sentido apresentei as emendas para que este projeto não seja tão somente imobiliário, não seja tão somente uma proposta de construção na zona rural sem as garantias de emprego. As emendas que apresentei tenho certeza que os vereadores irão aprovar. Se é esta a intenção dos empreendedores não há motivo para rejeição.”, frisou.
Ainda segundo o vereador, para a execução desta lei não haverá o investimento público, não haverá aporte de recursos do governo estadual e nem do governo federal. Porém disse que apesar de não ter o aporte, o projeto é sim importante, além de ser um empreendimento de mais de cinco milhões de metros quadrados.
Ele encerrou dizendo que este projeto tem que ser aprovado após o Plano Diretor. Que esta lei sendo aprovada depois do Plano é um fato que ele como vereador não abrirá mão, uma vez que o Plano Diretor oferece várias diretrizes e isso vai colaborar com a lei.

 

Sobre o projeto “Cidade Tecnológica”
Conforme justificativa do projeto de lei que se encontra na câmara municipal de Divinópolis, o presente projeto de lei institui, conforme previsão contida no artigo 3º da lei Federal 6766, Zonas de Urbanização Específica (ZUE), que será denominada “Cidade Tecnológica do Centro Oeste de Minas”, empreendimento voltado ao desenvolvimento econômico de maneira sustentada, consorciado às atividades de pesquisa, inovação tecnológica e ensino, com previsão ainda de ocupação residencial, sendo obrigatória a destinação de área para habitações de interesse social.
As ações previstas no citado empreendimento, seguramente, irão provocar um verdadeiro choque econômico criando um novo ciclo virtuoso e as bases para ampla expansão do município com repercussões sobre todo o Centro Oeste do Estado.
O projeto representará novos paradigmas de planejamento urbano, em busca da eficiência da cidade, da qualidade e de benefícios sociais, seguramente, estabelecendo um referencial de Divinópolis para outras cidades brasileiras. A lei planeja um ambiente de inovação, de dinamização do conhecimento aplicado, capaz de oferecer ao empreendedor bases de Ciência e Tecnologia, C&T, aplicada, colocando a cidade em posição de vanguarda em relação às políticas voltadas para o conhecimento tecnológico e acadêmico bem sucedidos, possibilitando, inclusive, a transformação do conhecimento em riqueza.

 

Sobre o Parque
O Parque, como proposta inovadora, no sentido do planejamento urbano vem a ser especial e deve ser considerado de prioritária relevância na formulação de cenários futuros, sendo capaz de modificar de forma decisiva o panorama de uma região. A vontade política por meio de instrumentação básica aponta para as Universidades como referenciais de controle e correção de rumos do projeto, por meio do efeito de demonstração da tendência sobre a inovação e tecnologia.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.