quarta-feira, 5 de Setembro de 2012 16:22h Carla Mariela

Vladimir Azevedo apresenta suas propostas para o comércio de Divinópolis

A Câmara de Dirigentes Lojistas de Divinópolis (CDL), com o objetivo de apresentar as propostas dos candidatos a prefeito da cidade para todos os seus associados, decidiu por meio do seu presidente, Rafael Nogueira Pinto, convidar todos os candidatos para apresentarem os seus projetos para o comércio do Município. O convidado de ontem foi o candidato Vladimir Azevedo (PSDB) juntamente com o seu candidato à vice Rodrigo Resende (PDT).

 


No início da reunião, Rafael Nogueira, se pronunciou sobre a importância da CDL em Divinópolis e falou sobre as reivindicações dos associados. “Divinópolis ostenta posição de notoriedade com a qualidade de cidade próspera dada as ações de seu povo. O papel do comércio local foi determinante na configuração desse desenvolvimento referente. A polaridade se deu graças à diversificação de produtos oferecidos e serviços prestados ao povo da região centro-oeste do Estado. Nós do comércio e serviço, estamos envolvidos em processo de crescimento alcançado”, ressaltou.

 

Conforme Rafael Nogueira, em Divinópolis eles significam mais de 80% da sociedade empresarial. Para ele, a contribuição da CDL e seus associados é notória aos cofres públicos. Uma das principais solicitações feita por eles é a elaboração de projetos com implementação em conjunto com a CDL da revitalização e fomentação de áreas comerciais em regiões dos centros e bairros.

 

Ao se pronunciar, Vladimir Azevedo falou sobre vários temas que estão relacionados com o comércio de Divinópolis, dentre eles, destacou a relação do buraco da Avenida Paraná com o comércio. “A avenida Paraná está terminando o processo licitatório e em torno de 45 até 60 dias nós estaremos com a obra pronta. Um dos motivos que a obra da Paraná atrasou é a questão do comércio, porque ali tinha um projeto de fazer um quadro rígido e a Paraná teria que ficar fechada por 60 dias, com trânsito alternativo. Imagina o que seria, se os comerciantes daquela área ficassem 60 dias com a rua fechada em obras. Um dos motivos do atraso do buraco foi o nosso olhar para a questão do comércio”, disse.

 

Vladimir também falou sobre educação e merenda escolar. Para ele, Divinópolis é uma cidade que hoje mais se compra diretamente da agricultura familiar, sendo assim a merenda escolar é uma maneira de colaboração com o comércio. Segundo ele, hoje em torno de R$2,5 milhões de reais por ano que iriam para Belo Horizonte, São Paulo e outras cidades retornam para o comércio da cidade. “Se o cidadão da agricultura familiar está produzindo mais, hoje, a dificuldade dele é de cumprir contrato. Antes, eles queriam vender, hoje eles tem dificuldade de cumprir o contrato, vão até nas cidades vizinhas para completar as entregas de laranja, limão, dentre outros. E onde ele vai comprar adubo, onde que ele vai abastecer o carro, comprar pneu? Tudo isso é instrumento para fazer o dinheiro circular aqui e isso faz muita diferença para o setor varejista”, destacou.

 

O candidato acrescentou no seu discurso que a construção civil é um item que também movimenta o comércio varejista. “A construção civil tem um agregador muito forte no poder de compra econômico e das questões do comércio varejo, pois esse setor movimenta supermercados, farmácias, padarias”, afirmou.

 

Vladimir finalizou dizendo que em termos gerais, ele juntamente com sua equipe sabe que várias lojas já foram abertas em Divinópolis, mas o que deve ser feito é melhorar ainda mais o comércio e disse que se for reeleito valorizará cada vez mais essa área.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.