sexta-feira, 28 de Dezembro de 2012 09:00h Carla Mariela

Vladimir Azevedo iniciará o ano de 2013 com equipe mínima

Conforme o prefeito, no próximo ano, vai aumentar a poupança do Município para evitar crise financeira

O prefeito de Divinópolis, Vladimir Azevedo (PSDB), fez um balanço de 2012, no auditório da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) e aproveitou para falar como iniciará o seu mandato no ano de 2013. Conforme o prefeito, ele já está preparado para a posse do dia 1º de Janeiro para que em seguida, possa dar continuidade em seus projetos no próximo ano.
Na ocasião, na presença da imprensa e de alguns funcionários públicos, Vladimir Azevedo, disse que aprendeu muito com o seu mandato em 2012 e que para o ano de 2013, dará sequência a seu trabalho, juntamente com o seu vice Rodrigo Resende “A população de Divinópolis quer ver o Hospital Público Regional funcionando, quer ver o complexo de saúde nascer, quer ver a infraestrutura dos bairros melhorarem, quer ver novos parques nascendo, quer ter um centro de tratamento de resíduos, quer continuar num processo de desenvolvimento sustentável e aprimorado. Nós vamos tentar fazer diferente nesse novo mandato” afirmou o prefeito.
Vladimir Azevedo ainda destacou que está muito feliz e bastante motivado em trabalhar mais e melhor por Divinópolis. Segundo ele, 2013 será um novo ciclo, uma nova esperança. Ele ressaltou que com fé e trabalho, ele e sua equipe cumpriram os mesmos princípios morais e éticos, num aprimoramento de gestão necessário.
Questionado pela reportagem se ele terá em seu novo mandato, um novo secretariado, Vladimir Azevedo, declarou que vai iniciar o seu governo com a equipe mínima e formar o novo governo durante o 1º trimestre, que a única mudança no secretariado foi a saída da secretária de saúde, Rosenilce Cherie Mourão, para a entrada do novo secretário, Dárcio Abud Lemos, que assumirá o comando da secretaria a partir do dia 01 de Janeiro.
Sobre a equipe de transição ter sido elaborada em um momento em que a prefeitura devido à queda do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), estava em aperto, ao perguntar se ele iria continuar com essa equipe no início do ano, se seria ainda por causa deste aperto nesse ano de 2012, o prefeito explicou se continuará com a equipe mínima. “Em 2013 está desenhado por todas as entidades, economistas, que será um ano difícil, em que a crise perdura na Europa, nos Estados Unidos, onde são mercados fundamentais para a economia brasileira. A nossa sorte é que o Oriente, a Índia e a China, passa por bons momentos econômicos que está segurando o mundo”, afirmou.
Ao responder, além da equipe mínima, quais os critérios que ele iria tomar no seu novo mandato, para que não tenha que aplicar as medidas referentes à queda do FPM novamente, Vladimir Azevedo, relatou que tem coisas que dá para prever e tem coisas que são fatores externos. “Infelizmente ninguém tem bola de cristal, nós tentamos ser atuantes. Um dos critérios é aumentar um pouco da poupança do Município. Nós trabalhamos muito com investimentos em habitação, em saúde, vocês podem olhar os dados, pois o que nós estamos investindo em saúde, fora a despesa corrente é dez vezes superior a média, o que nós estamos investindo de infraestrutura, em asfaltamento de linhas de ônibus, então, o que nós vamos fazer é medir um pouco dos investimentos com um pouco de poupança durante o mandato para nós sempre seguirmos com o fôlego, para que se caso vier a crise, termos onde segurar, então a ideia é criar um pouco de poupança”, destacou.
Portanto, após a posse do dia 1º de Janeiro, o prefeito pretende continuidade nas obras, projetos em 2013.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.