quarta-feira, 15 de Julho de 2015 13:01h

Vladimir defende Gasoduto para região Centro-Oeste em audiência pública

O prefeito Vladimir Azevedo participou da audiência pública conjunta das comissões de Turismo, Indústria, Comércio e Cooperativismo; de Política Agropecuária e Agroindustrial; e de Minas e Energia, da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, na última terça-feira (14/07). O evento debateu a construção do gasoduto a partir do município de Betim, as margens da BR 262, até a região do triangulo mineiro, o que viabilizará a construção e funcionamento da fábrica de amônia, em Uberaba.

A tubulação subterrânea será responsável por transportar gás natural, que servirá de matéria-prima principalmente para a fábrica de amônia, construída pela Petrobras naquele município do Triângulo. A reunião foi requisitada pelo presidente da Comissão de Política Agropecuária e Agroindustrial, deputado Fabiano Tolentino (PPS), e pelos deputados Antônio Lerin, Bosco, Emidinho Madeira e Tony Carlos (PMDB).

Durante sua fala, Vladimir, destacou que o projeto do Gasoduto é estruturador e que muda o patamar das políticas de desenvolvimento das regiões por onde vai passar. “Nós defendemos esse trecho que sai da Região Metropolitana de Belo Horizonte e passa pelo Centro-Oeste até chegar em Uberaba como necessário para um novo ciclo de desenvolvimento para nossa região, do Alto Paranaíba e Triângulo Mineiro. O nível de competitividade em que vamos evoluir o capital local é outro. Ao mesmo tempo, teremos condições de atrair investimentos em uma reação sinérgica e ao mesmo tempo promover o desenvolvimento de nossas cidades” ressaltou.

O prefeito lembrou ainda a última grande conquista para Divinópolis e região; a implantação da linha aérea, no início de julho.  “Neste mesmo contexto colocamos a importância do gasoduto mineiro, que vai gerar prosperidade e renda. Temos sempre que fazer um dos principais papéis fundamentais do setor público, que é induzir o desenvolvimento. No momento em que fomos surpreendidos pela imprensa, que o investimento foi suspenso, é uma boa hora do governo de Minas, mostrar para o governo federal que esta é a prioridade do estado e que não se pode abrir mão”, finalizou.

De acordo com Tolentino, o pedido das três comissões reforça o tema. “Vamos cobrar efetivamente ação do governo do Estado, e existindo a implantação do gasoduto, Divinópolis estará na rota que já foi traçada. O Governo federal diz que não há recurso para a sua construção, então vamos nos unir em prol deste grande empreendimento”, comentou.

O deputado Tony Carlos afirmou que a unidade da Petrobras está com as obras em ritmo lento. “Precisamos reunir forças políticas para consolidar o projeto”, defendeu Tony Carlos. Segundo ele, o gasoduto deve exigir investimentos de R$ 2 bilhões e cruzará vários municípios em seu trajeto, que também poderão usar o gás em outros investimentos.

Outras reuniões devem ser realizadas para debater o assunto. A previsão das comissões é de realizar audiências públicas em Divinópolis, Araxá e Uberaba. “Nós estamos aqui para levar informações atualizadas para a nossa região. O debate proporciona uma discussão com relação à planta de amônia de Uberaba e o gasoduto, que com certeza passará por Divinópolis. Temos que provocar ao governo do Estado, a importância de sua decisão. Não podemos deixar esta grande oportunidade de desenvolvimento se perder”, explicou Afonso Gonzaga, presidente da Fiemg Regional Centro-Oeste.

Também estiveram presentes, o vice-prefeito, Rodrigo Resende; secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Paulo César dos Santos; secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Altamir de Araújo Rôso Filho;  prefeito de Uberaba, Paulo Piau Nogueira; além de representas de várias entidades.

Projeto
O projeto, denominado de “Novo Gás Oeste”, tem investimentos próximos dos R$ 4 bilhões e beneficiará municípios do Centro-Oeste, Alto Paranaíba e Triângulo Mineiro. Seriam 450 km de gasoduto de distribuição e investimentos de R$ 3,8 bilhões, sendo que R$ 1,8 bilhão nos dutos e R$ 2 bilhões por parte da Unidade de Fertilizantes Nitrogenados em Uberaba.

A obra geraria 3,7 mil empregos, beneficiado 55 municípios indiretamente com uma população estimada em 2,3 milhões de habitantes. De acordo com as projeções, as regiões beneficiadas têm um Produto Interno Bruto (PIB) de R$ 106 bilhões, representando 25% das riquezas de Minas Gerais.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.