Presidente da FIA fala sobre Schumacher 'continua lutando"

Alemão sofreu acidente enquanto esquiava nos alpes franceses

22 NOV 2020

CARLOS HENRIQUE MONTEIRO

 

O francês Jean Todt, ex-chefe da Ferrari e atual presidente da Federação Internacional do Automobilismo (FIA, na sigla em francês), falou novamente sobre a saúde de  Michael Schumacher, heptacampeão mundial de Fórmula 1, que há quase sete anos se acidrntou enquanto andava de  esqui na França que o deixou em estado vegetativo.

O ex-piloto bateu a cabeça em uma pedra e ficou em coma, entre a vida e a morte. Foi submetido a duas intervenções cirúrgicas, das quais saiu em coma induzido, em estado crítico, mas estável.

Todt revelou que o seu amigo está "bem instalado", frisando, contudo, que a sua saúde ainda inspira cuidados.

 

"Schumacher está bem acompanhado e confortavelmente instalado. Continua lutando e só podemos desejar a ele e à família que as coisas melhorem", disse o presidente da FIA, uma das poucas pessoas que continua fazendo visitas ao ex-piloto, em entrevista ao canal de TV francês RTL.

Em março de 2014, ainda em coma, Schumacher começou a respirar sem aparelhos, teve alta em setembro para continuar a recuperação em casa. Durante algum tempo, o ex-piloto parecia estar reagindo aos tratamentos, dando esperanças em uma possível recuperação.

Mas, em maio de 2016, Todt revelou detalhes sobre o estado de saúde de Schumacher: tinha piorado muito e tinha a vida por um fio. No ano passado, soube-se que o ex-piloto deixou de estar acamado e que a sua vida não depende de uma máquina. A família tenta manter seu estado de saúde em sigilo absoluto. Em uma das raras declarações públicas sobre o tema, Corinna Betsch, esposa de Schumacher, deu a entender que o alemão segue reagindo lentamente.

 

 

© 2009-2020. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.