Lacimar Cezário, o Três, é o primeiro vereador cassado da história da Câmara Municipal de Itaúna.

Com 16 votos a favor, quatro a mais que o necessário, e uma abstenção, Lacimar Cezário, o Três (PSD), foi considerado culpado pelos vereadores por quebra de decoro, na denúncia de suposta rachadinha, e teve o mandato cassado em sessão extraordinária nesta quinta-feira (9). De acordo com a Câmara Municipal de Itaúna, esta é a primeira cassação em plenário registrada na história da Casa, desde a sua fundação, em 1901.

Segundo suplente de Três, o ex-vice prefeito Pedro Paulo Pinto foi o único presente que se absteve de votar, após longo discurso do advogado do acusado, Peter Gabriel. O primeiro suplente, Aladim Pereira da Costa, não chegou a tempo da nomeação para a votação, às 12h, mas assumirá a cadeira do parlamentar cujos direitos políticos foram anulados.

A votação, que teve quase quatro horas de duração, também ficou marcada pela convocação dos ex-vereadores Francis José Saldanha e Leonardo Santos Rosemburg, o Leo Bala, que participaram como suplentes de Otacília Barbosa (PV) e Gláucia Santiago (PL), respectivamente.

Otacília foi impedida de votar, após liminar da defesa de Três ter sido acatada pela Justiça. A vereador é casada com Thiago Aníbal, ex-assessor e autor da denúncia de suposta rachadinha. Gláucia está internada com suspeita de COVID-19.

OFÍCIO AO TSE Após a decisão, a Câmara tem até dois dias úteis para convocar Aladim. Ao término da reunião, o presidente Alexandre Campos (DEM) afirmou que a Mesa Diretora expedirá decreto legislativo de cassação de Três, determinando um ofício comunicando o Tribunal de Justiça Eleitoral (TSE) sobre o resultado da sessão de julgamento.

 

Fonte - @viuitauna

© 2009-2020. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.