Mais uma captação de órgãos é realizada na Santa Casa de Formiga.


Nesta segunda-feira (27), aconteceu mais uma captação de órgãos na Santa Casa de Formiga. A paciente teve morte encefálica diagnosticada no sábado (25).
A equipe da Santa Casa de Belo Horizonte, composta por seis pessoas, foi responsável pelo procedimento de retirada do coração e dos rins, que durou cerca de três horas.
A paciente M.G.C., de 45 anos, deu entrada na Santa Casa de Formiga, na quinta-feira (23), trazida pela SAMU com o diagnóstico de rompimento de aneurisma e foi encaminhada para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Após vários testes, a morte encefálica foi diagnosticada dois dias após sua internação.


Doação de órgãos


O processo para doação de órgãos é realizado quando ocorre a confirmação da morte encefálica do paciente. A equipe médica se encarrega de comunicar aos familiares do paciente sobre seu quadro clínico, fornecendo orientações e esclarecendo todas dúvidas da família sobre o procedimento.
Por mais que o paciente tenha deixado claro sua vontade em relação ao seu último desejo em ser doador, apenas os familiares possuem o direito de autorizar a retirada dos órgãos para doação, após a constatação da morte encefálica.
Segundo a Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos, no Brasil, mais de 45 mil pessoas estão na fila de espera por um transplante e o maior obstáculo para doação tem sido a recusa por parte das famílias, que registra cerca de 40%.
Por isso, se você quer ser um doador de órgãos, comunique aos seus familiares e deixe claro que eles devem autorizar o procedimento de doação. Um gesto que pode salvar vidas!

© 2009-2020. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.