MPMG investiga crimes praticados na Câmara Municipal de Itaúna.

As irregularidades são decorrentes, inicialmente, de contratação de agência de publicidade mediante fraude de licitação e apropriação de dinheiro público na execução de contrato fraudulento.

       
O Ministério Público de Minas Gerais (MPMNG), por intermédio da Promotoria do Patrimônio Público de Itaúna e do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) Regional de Divinópolis, com o apoio da Polícia Militar e da Polícia Civil, deflagrou na manhã desta terça-feira, 10 de dezembro, a Operação Carona Sinistra, fruto de um procedimento investigatório que apurou práticas criminosas no âmbito do Poder Legislativo do município de Itaúna.

As irregularidades são decorrentes, inicialmente, de contratação de agência de publicidade mediante fraude de licitação e apropriação de dinheiro público na execução de contrato fraudulento. Além dos crimes de fraude ao procedimento licitatório, peculato-desvio e associação criminosa, outras infrações penais poderão ser comprovadas no desfecho do procedimento investigatório criminal.

Na oportunidade, foram cumpridos 13 mandados de busca e apreensão relacionados a seis alvos da operação, nas residências e endereços profissionais dos investigados, incluindo gabinete da Câmara Municipal. A decisão judicial ainda determinou cautelarmente o afastamento de envolvidos das respectivas funções públicas e a proibição de contato entre os alvos da operação, além de proibir o acesso à Câmara Municipal por parte dos investigados.

A Operação Carona Sinistra contou com a participação de quatro promotores de Justiça, seis servidores do Ministério Público, 41 policiais militares e 28 policiais civis.

Operação “Carona Sinistra”

A Polícia Civil de Minas Gerais, com o Ministério Público e a Polícia Militar, desencadeou a Operação “Carona Sinistra” para cumprir mandados de busca e apreensão nas investigações de crimes contra a administração pública no município de Itaúna.
Vereadores, assessores e o irmão do prefeito, além de dois veículos impressos da cidade, são investigados por peculato-desvio, fraude ao procedimento licitatório e associação criminosa.
Computadores, HD’s externos, telefones celulares, cheques e grande quantidade de documentos foram apreendidos na operação.

Resultado da operação:
- Cumprimento de 12 mandados de busca e apreensão
- cinco computadores;
- três Notebooks;
- um Tablet;
- uma CPU;
 - um Micro computador;
- três HD’s externos;
- cinco unidades de CD;
- dois Pen Drives;
- nove aparelhos de telefone celular;
- cerca de R$ 175 mil em cheques diversos;
- R$ 800 em dinheiro;
- agendas com informações diversas;
-diversas notas promissórias e contratos, além de grande quantidade de documentos.

© 2009-2020. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.