Sintram cobra entrega de EPIS aos servidores da saúde em Divinópolis.

Sindicato recebeu denúncias relatando falta do material no setor de TFD e Protocolo da Semusa.

O Sintram representado pela conselheira fiscal, Lucilândia Monteiro, e pelo vice-presidente, Wellington Silva, esteve  em reunião com a coordenação do setor de Tratamento Fora Domicílio – TFD e Protocolo, da Secretaria Municipal de Saúde de Divinópolis (Semusa). O objetivo da presença do sindicato foi para cobrar o fornecimento de Equipamentos de Proteção Individual – Epis para os servidores do setor, uma vez que a diretoria recebeu denúncias, que o material não estava sendo entregue para a devida proteção nesta situação de pandemia do Covid – 19 (Novo Coronavírus).

O setor de TFD e Protocolo atende usuários de toda a rede de Divinópolis para marcação de exames e também é responsável pelo suporte aos motoristas de ambulâncias de cidades vizinhas, entre outras funções. Ou seja, são locais de exposição dos servidores a cidadãos de diversas localidades, sendo necessária uma proteção adequada.

Representaram o sindicato na reunião o vice-presidente, Wellington Silva, e a conselheira fiscal, Lucilândia Monteiro

Segundo a conselheira Lucilândia Monteiro e o vice-presidente, Wellington Silva, na reunião a coordenadora do setor, Cinthia Dias Azevedo Marafelli, disse que o pedido de fornecimento de EPIS foi encaminhado ao Cresst e ao setor de almofarixado. O sindicato argumentou que o local deve ter uma maior proteção, já que os servidores estão sendo expostos a pessoas que residem fora de Divinópolis, e iria cobrar providências da administração municipal para a entrega.

Quando os representantes do Sintram estavam saindo da Secretaria Municipal de Saúde, tiveram uma conversa informal com o secretário de saúde, Amarildo Souza.  Os dirigentes sindicais solicitaram que fossem  entregues máscaras cirúrgicas e protetor facial para os trabalhadores do setor. O secretário justificou ao sindicato, que não poderia fornecer máscaras cirúrgicas, já que o material pode faltar para os trabalhadores das unidades de saúde, mas que iria disponibilizar protetor faciais.

Atuação

Desde o início da pandemia no Centro Oeste de Minas Gerais, a diretoria do Sintram vem atuando de forma ferrenha para defender a saúde dos servidores municipais. Neste sentido, o sindicato oficiou as 36 cidades da sua base de representação,  citando a Nota Técnica Conjunta nº02/2020, emitida em data  de 13 de março,  pelo Ministério Público do Trabalho – Procuradoria Geral do Trabalho, pela Coordenadoria Nacional de Defesa do Meio Ambiente de Trabalho – CODEMAT e pela Coordenadoria Nacional de Combate às irregularidades trabalhistas na Administração Pública – CONAP, pedindo aos prefeitos providências para preservação a saúde dos servidores como:  afastamento de todos os servidores do grupo de risco à doença (gestantes,   servidores com 60 anos ou mais; imunocomprometidos, em tratamento oncológico, etc); fornecimento de lavatórios com água e sabão, sanitizantes (álcool 70% ou outros adequados à atividade); flexibilidade de jornada aos demais trabalhadores não pertencentes ao grupo de risco (jornada reduzida, rodízio de funcionários, teletrabalho); e fornecimento de Equipamentos de Proteção Individual – Epis a todos os servidores.

Divinópolis foi uma das cidades mais cobradas pelo sindicato, em virtude das várias denúncias recebidas, principalmente nos meses de março e abril, sendo que a maioria delas foi devido à falta do fornecimento de Epis.

Posicionamento

Os representantes do Sintram ressaltaram que a diretoria continua vigilante e que os servidores devem entram em contato e registrar reclamações de falta do material, já que é fundamental que as Prefeituras forneçam condições adequadas de trabalho e segurança a saúde dos servidores. Servidor, para denunciar falta de Epis no seu local de trabalho, faça contato com o sindicato, ligue 37-3216-8484 e peça para falar com algum diretor ou envie mensagem para o número de whatsapp (37) 9-8831-1392.

 

Fonte -Sintram

© 2009-2020. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.