quarta-feira, 23 de Novembro de 2011 09:49h Atualizado em 23 de Novembro de 2011 às 09:54h. André Bernardes

1º Encontro Estadual de Apoio à Adoção

O grupo “de Volta pra Casa”, de Divinópolis, que está organizando o 1º encontro estadual de apoio a adoção que será realizado sexta (25), no auditório da Faculdade Pitágoras

A adoção no Brasil está passando por um processo de modificação nas leis, para que crianças e adolescentes que vivem em orfanatos possam ser adotados de uma maneira segura e mais simples. Essa mudança é fruto de trabalho dos grupos de apoio a adoção, como o grupo “de Volta pra Casa”, de Divinópolis, que está organizando o 1º encontro estadual de apoio a adoção que será realizado sexta, 25, no auditório da Faculdade Pitágoras.


Em todo o Brasil existem 100 grupos de apoio a adoção. Em Minas são cinco e o Grupo “de volta pra Casa”, de Divinópolis é o mais atuante, participando diretamente da reformulação das leis e variando uma rede de contato com todos os grupos. Sandra Amaral, presidente do grupo explica que esse encontro irá reforçar a luta da adoção no País. “Este é o primeiro encontro estadual e acredito que depois desse encontro,irá fortalecer muito os grupos que já existem pois eles são muito importantes para preparar os casais, instruir e tirar todas as dúvidas. Esse movimento é formado por pessoas que são voluntários e alguns efetivos, formados por pais adotivos, nada melhor do que a experiência. Nós recebemos de comarcas parceiras, nomes de crianças disponíveis a adoção. Como eles conhecem, eles passam para os grupos que são mais de cem no Brasil. Esses grupos tem os casais cadastrados que participam de reuniões mensais, estão cadastrados, estão aptos e prontos para a adoção” comentou.


O encontro é um marco para a cidade e para a adoção no Brasil. Autoridades importantes como o senador Magno Malta, estarão presentes para falar sobre o assunto. Todos os palestrantes têm a vivência do processo de adoção e compartilharão as dificuldades e conquistas do processo.  Assuntos como responsabilidade da família, panorama nacional, convivência familiar com os abrigos, importância dos grupos e a nova lei de adoção serão tratados no encontro. “Minas está atrasada na questão de adoção. As pessoas poderão conhecer o trabalho dos grupos de adoção. Fazemos este trabalho com muito amor, sem verba” contou. Sandra conta que os grupos de todo o Brasil conseguiram realizar mais doações que o cadastro nacional. Enquanto o cadastro realizou uma média de 600 adoções os grupos conseguiram 2mil. “Em três anos e meio já fizemos 75 adoções, nestes últimos quinze dias foram seis. A nossa maior conquista foi quando o Senador Magno Malta me pediu que eu fizesse uma carta para o senador Paim, pedindo para que ele revisse a lei e desarquivasse carta de pedidos de adoção. Ele me convidou para ouvir, falei sobre as dificuldades, tudo o que acontece no Brasil e daí ele ficou sensibilizado e de imediato fizemos reuniões periódicas aproveitando a antiga lei e melhorando os piores artigos” disse Sandra.


O grupo trabalha orientando as famílias no processo de adoção. Sandra revelou que o grande problema que os grupos enfrentam é preparar os pais para que adotem crianças que muitas pessoas não querem. “É triste falar isso, mas tem crianças que as famílias não querem. Muitos casais querem aquilo que a natureza negou e buscam uma criança perfeita. As crianças de cor, mais velhas e com alguma doença ninguém quer e nós conscientizamos as famílias para isso” disse Sandra. O Grupo de Apoio a Adoção de Volta para Casa acompanha famílias que querem adotar uma criança em todo o processo de treinamento, burocrático e acompanhamento depois da adoção. O encontro está aberto a população com entrega de certificado. As inscrições podem ser feitas pelo email devoltapracasa2010@gmail.com ou pelo telefone 3222- 4410

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.