domingo, 27 de Novembro de 2011 10:14h André Bernardes

40 mil crianças esperam decisão da justiça para serem adotadas

1º Encontro Estadual de Apoio a Adoção discutiu a desburocratização do processo

Na manhã de ontem, 25, o auditório da Faculdade Pitágoras foi palco do primeiro Encontro Estadual de Apoio a Adoção.  Autoridades e grupos de apoio a adoção de todo o Brasil participaram do encontro, onde foram discutidos assuntos como maus tratos, burocracia e a criação da frente parlamentar em defesa d adoção.


Cerca de 500 pessoas participaram do encontro que foi aberto a toda a sociedade. Além de discutir assuntos relacionados ao tema, o encontro também divulgou a importância da adoção. Antigamente, uma criança retirada dos pais esperava por muitos anos para ser liberada para a adoção. Com a promulgação da Lei da Adoção em 2009, fixou o prazo de dois anos para que a justiça encaminhe a criança para adoção.


Bárbara Toledo, presidente da federação dos Grupos de Adoção do Brasil, conta que no Brasil existem 4907 crianças prontas para a adoção. “A maior dificuldade é a definição da situação jurídica da criança, se ela tem condição de voltar para sua família de origem ou se ela vai para adoção. Existe uma demora para definir isso e o responsável é o Judiciário. Se a criança vai para adoção ela passa por um processo de destituição do poder familiar que depende do Ministério Público, que ainda demora muito, pois tem que ser proposta essa ação, corre prazo para citar essa família. Tudo corre contra a criança, pois esse tempo a família não se importa e ela deixa de ser criança, de viver em família. Nós comemoramos muito a promulgação da lei em 2009, que fixou o prazo de seis meses a dois anos para o abrigo e o juiz darem a palavra final. São mais de 40 mil crianças abrigadas e 5 mil esperando a definição da justiça. Nós somos os porta vozes destas crianças que não têm voz” disse.
Deputada Estadual Luzia Ferreira anunciou no encontro a Frente Parlamentar em Defesa da Adoção. Minas Gerais é um dos estados mais atrasados no assunto. Ela acredita que a frente irá reforçar a discussão deste tema no parlamento de Minas Gerais. “Vamos dar agilidade a este trabalho para realizar este encontro das crianças com a família, além de apoiar os grupos e sensibilizar a sociedade para romper as barreiras da adoção” explicou.
Os grupos de adoção trabalham orientando os pais que querem adotar em todo o processo e depois da adoção. São feitos trabalhos de conscientização para a adoção de crianças mais velhas, de outras raças e com deficiência. No Brasil existem mais de 100 grupos que desenvolvem este trabalho. Luiz Eduardo, o Lula, presidente do  Grupo Rosa da Adoção, do Rio de Janeiro, veio para Divinópolis prestigiar o encontro. “Esses encontros promovem o fortalecimento, pois ainda a muita informação sobra a adoção. Eventos como esse divulga e une os grupos de adoção e das pessoas.


O encontro foi promovido pelo Grupo de Adoção “De volta pra Casa”, de Divinópolis. Esse grupo é um dos mais atuantes no país e participou diretamente na reformulação da lei de adoção. A presidente do grupo, a empresária Sandra Amaral comemorou a grandeza do encontro e espera que reforce a luta dos outros grupos em apoio a adoção. “Faz dois meses que estamos preparando o encontro, mas para o grupo chegar a nível Brasil tem três anos e meio com um trabalho sério e de respeito. Hoje é um dia de muita alegria, dividir com as pessoas para elas saberem o que é adoção, ver que é uma coisa séria. Eu estou muito feliz pois toda causa é difícil ser abraçada. Ver os amigos daqui e de outros estados me faz sentir muito importante esse trabalho” emocionou-se


O prefeito Vladimir Azevedo contou que o município faz o que pode em relação a adoção como por exemplo oferecer abrigos com condições favoráveis para as crianças viverem. Em seu governo, foi feito um trabalho para separar abrigos onde ficavam meninos e meninas. “A adoção é um tema que nos sensibiliza, um dos maiores atos de amor da família e a oportunidade para todos os que nasceram e não tem esse aconchego. A adoção precisa ser promovida, ela tem que ser alertada, discutida e fico feliz disso ter começado na sociedade e o governo vem complementando. Espero que aumente a conscientização para a adoção, diminua a burocracia. O município garante abrigos para crianças desamparadas até que a situação dessas crianças se resolva, com uma tutela segura. Nós temos vários abrigos e no nosso governo tomamos importantes decisões dividindo os adolescentes de sexo feminino e masculino” contou. Diversas outras autoridades estiveram presentes no encontro como o Deputado Federal Jayme Martins e o Vereador Geraldinho da Saúde representando o Legislativo.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.