terça-feira, 29 de Novembro de 2011 10:32h Atualizado em 29 de Novembro de 2011 às 10:37h. Sarah Rodrigues

Ambulantes cobram melhorias no camelódromo

Buracos na lona que cobre o Centro de Comércio Popular (Camelódromo) causaram inúmeras goteiras no local. Os vendedores reclamam que o problema já foi passado para os órgãos responsáveis e que nada foi feito até agora

Quem passou pelo Centro de Comércio Popular localizado na rua São Paulo, conhecido como camelódromo se assustou com a quantidade de goteiras que se espalharam pelo local. Construído há quase três anos, o camelódromo se assemelha a uma peneira em alguns pontos, de tantos vazamentos na lona. Os comerciantes alegam que já pediriam ajuda junto à prefeitura municipal, mas nada foi feito até agora.
Segundo Divino Genésio, presidente da Associação dos Vendedores Ambulantes todos os vendedores estão reclamando das goteiras que além de afastar os clientes, ainda causa danos aos produtos. “O pessoal está reclamando muito dos buracos na lona, com a chuva, cai muita água aqui dentro, já reclamamos na prefeitura e até hoje eles não fizeram nada, a lona eles disseram que teria a garantia de quatro anos e tem apenas três e ela já está toda furada”.


Sobre as reclamações aos órgãos responsáveis o presidente da associação informou que já contou sobre o problema, principalmente com a proximidade do período chuvoso, mas nenhuma providência foi tomada. “Nós reclamamos com os fiscais, mandamos recado para o prefeito e até agora nada foi resolvido. Quando chove, principalmente na área onde a lona  está furada há prejuízos com as mercadorias”, avalia.
O vendedor Márcio Liberato conta que principalmente no sábado, em que as vendas aumentam, os buracos afastaram muitos clientes. Segundo ele, por sua barraca ficar embaixo dos principais buracos, os prejuízos já vieram. “Esses buracos atrapalharam muito as vendas no sábado, a chuva começou por volta de 13h e atrapalhou. Com os buracos molhou meus produtos como relógios, carteiras, os brinquedos, e perdi mercadorias com a chuva”, explica.


Liberato ressalta que também já procurou os órgãos responsáveis, mas nenhuma resposta foi dada. Ele questiona que o camelódromo deverá mudar de lugar, mas até lá as melhorias devem ser feitas no local atual. O ambulante observa “Fui à prefeitura conversei com o vice-prefeito e o posicionamento dele é falar sobre o novo camelódromo e então não há nada definido pela prefeitura em relação aos buracos”.

 

 

PROVIDÊNCIAS


A reportagem da Gazeta entrou em contato com a assessoria do vice-prefeito Francisco Martins, que faz a intermediação do projeto do novo camelódromo, para saber qual a previsão de mudança do local, ou possíveis melhorias na lona já que os vendedores alegaram tê-lo avisado sobre o assunto, mas até o fechamento da edição não obtivemos retornou ou posicionamento de Martins.
 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.