terça-feira, 22 de Novembro de 2011 12:04h André Bernardes

Após rumores de boicote, exame SIMAVE deverá ser aplicado

Começa hoje a aplicação da prova do SIMAVE nas escolas estaduais. A prova mede a qualidade de ensino do Estado. Os professores da rede estadual decidiram boicotar a prova depois que o governo não ajustou a lei do piso. Porém a decisão só será tomada hoje

O Sistema Mineiro de Avaliação Escolar, SIMAVE, que avalia o índice da educação no estado começa a ser aplicada hoje nas escolas, mesmo depois que o Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação, SIND-UTE, decidiu em assembleia boicotar a prova, em manifestação ao piso salarial e o pagamento por produtividade.


A prova que aborda questões de português e matemática é distribuída para todo o estado e aplicada para alunos de nono ano do ensino fundamental e terceiros anos do ensino médio. As questões são baseadas na grade curricular do estado. Roberto Rodrigues, diretor da escola Joaquim Nabuco, diz que a aplicação da prova é importante para mensurar a qualidade do ensino no estado. “Essa semana vamos aplicar a prova que é utilizada para medir o índice de desenvolvimento da educação básica que é o IDEB, que mede o índice das escolas em relação ao nível de conhecimento e habilidade do aluno. A língua portuguesa e matemática que formam essa prova” explicou. Rodrigo conta que a preparação dos alunos acontece durante todo o ano com simulados nos moldes da prova. “A preparação da prova acontece durante todos o ano. Vamos tentar colocar no sexto ano essa preparação para o SIMAVE. Este ano os alunos já fizeram dois simulados nos moldes do SIMAVE. Ele serve para nortear o que é preciso fazer para a sala de aula” disse.
No último IDEB, Divinópolis alcançou a primeira colocação no estado e o quinto lugar no Brasil. Rodrigo diz que para a classe de professores, esse resultado é uma vitória. “ No último IDEB, Divinópolis ficou em primeiro lugar de Minas Gerais e o quinto no Brasil. Ficamos felizes com esse dado. É uma prova padrão para o Estado” comemorou.


Naiara das Chagas, aluna do terceiro ano afirma estar preparada para fazer a prova e conta que os alunos que se esforçaram durante as aulas terão um bom desempenho na hora da prova. “Estou me preparando desde que comecei o ensino médio e agora vou confirmar o que eu aprendi. As provas são conhecimentos que temos na sala de aula. Quem estudou está preparado para fazer a prova” garantiu.

 

 

Boicote

 

Na semana passada as escolas estaduais realizaram uma operação tartaruga em protesto ao não pagamento do Prêmio de Produtividade, pago anualmente pelo governo, além do piso salarial que não foi negociado de acordo com as exigências do SIND-UTE. A coordenadora do Sindicato em Divinópolis, Maria Catarina , coordenadora do departamento de políticas sociais e de imprensa do Sind-UTE explicou que por enquanto não se fala em greve, porém foi decidido em assembleia que a prova do SIMAVE seria boicotada pelos professores. “Ficou decidido na Assembleia, agora temos que aguardar o posicionamento dos professores. Não recebi nenhum retorno” contou.


Roberto Rodrigues conta que só saberá sobre o boicote na hora da prova. “Eu espero que não aconteça, pois eu acho que essa não é a maneira correta de protestar. É um pensamento meu. Acredito que vamos aplicar a prova normalmente. Quem irá decidir é a categoria. Acho que teremos a prova normal” disse. 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.