terça-feira, 6 de Dezembro de 2011 12:08h André Bernardes

Árvore de grande porte cai na praça do Santuário

Metade de uma árvore gameleira que ficava na praça do Santuário, caiu no último domingo 5, no horário de grande movimento. O Corpo de Bombeiros esteve no local e isolou uma área da praça, pois havia o risco da outra metade cair. Ninguém ficou ferido.


O estudante João Paulo estava com sua namorada em uma escada onde a árvore caiu. Ele conta que ouviu um estalo e logo as pessoas começaram a gritar. “As pessoas começaram a gritar que a árvore ia cair e quando vi, ela já estava no chão” lembrou. O estudante não se machucou, mas afirma ter se assustado com a situação. Com a suspeita de haver alguma vítima, os bombeiros se deslocaram para o local com três viaturas e realizaram um rastreamento. O Sargento Gilson Lucas, contou que não foi encontrada nenhuma vítima. “Não houve vítimas ao contrário do que foi informado quando nos ligaram. Eu desloquei várias viaturas para cá, fizemos um rastreamento e ninguém machucado ou ferido foi localizado. Agora temos que fazer uma averiguação e avaliar o que causou a queda da árvore. O que foi informado é que ela caiu sozinha. Como não houve vítimas ou nenhum estrago e por ser um trabalho perigoso continuaremos amanhã” informou.


Para se ter uma ideia do tamanho da árvore, ela se partiu ao meio perto da ponte que existe na praça e atingiu as escadas que dão acesso a rua da escola Padre Matias.  O cimento que ficava em torno da árvore foi arrancado e seus galhos atingiram uma fonte desativada no local.


A prefeitura de Divinópolis tinha um projeto para cortar a gameleira, porém os moradores não permitiram. A árvore tinha 40 anos e o custo mensal de manutenção era de aproximadamente R$1mil. Segundo José Ananias, chefe de setor de corte da secretaria de Meio Ambiente, o corte de árvores é autorizado quando a segurança da população está em risco. “Se aquela árvore estivesse em um passeio ou perto de uma casa nós iríamos cortar de qualquer jeito” disse. Ananias explicou que a árvore cresceu em lugar inapropriado e durante todos esses anos, recebeu diversos tipos de tratamento que muitas vezes não eram adequados para sua espécie. “A equipe da prefeitura e do Corpo de Bombeiros irão retirar a outra parte. Quando autorizamos um corte de árvore, nós priorizamos a segurança da população, as podas. Nunca por estética” garantiu o chefe de setor. Uma equipe técnica da prefeitura está analisando o que ocasionou a queda da árvore e se há risco de outras quedas. 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.