sexta-feira, 23 de Dezembro de 2011 09:36h Sarah Rodrigues

Bueiros se abrem em obra recente no Tietê

A obra de drenagem pluvial no bairro Tietê, reivindicação antiga da população terminou há poucos dias. Mas, a população já apresenta questionamentos sobre dois bueiros a pouco mais de 200 m que estão com as tampas quebras e podem trazer transtornos

A drenagem pluvial da alameda Rio Claro e ruas adjacentes no bairro Tietê foi alvo de reclamação da população desde seu início. Durante o período de estiagem os moradores do bairro questionaram a demora nas obras, a poeira e fizeram inclusive manifestações fechando a rua impedindo a passagem de veículos reivindicando melhorias.
As obras no local já terminaram e os moradores enfrentam novos problemas. A população questiona que dois bueiros com menos de 200 m de distância já tem as tampas quebradas que podem causar transtornos. Além disso, os moradores alegam que o calçamento poliédrico não ficou como deveria apresentando diversas variações.
Até mesmo pessoas que não moram no bairro apontam os problemas. A motorista Daniela Freitas passava pela rua para ir para outro bairro e levou um susto ao se deparar com o bueiro semi-aberto. “Eu não moro aqui, não conheço a rua e se estivesse chovendo como nos últimos dias, poderia cair no bueiro sem saber, minha roda ficaria empenada com certeza”, avalia.
Para não passar pelos bueiros os motoristas se desviam. O motivo que fez com que as duas tampas tivessem danos a população não sabe. Alguns argumentam que é devido a rua ser uma das principais e comporta um fluxo intenso de veículos, outros apontam que as tampas são menores que o bueiro, por isso cederam. As bordas do bueiro também contêm rachaduras.
O morador Antônio Dias aponta que com as intensas chuvas dos últimos dias já refletiu a melhoria da obra no local, mas os concertos precisam ser feitos. “A gente fica agradecido com as melhorias, antes os esgotos até voltavam nas casas e a rua fica correndo enxurradas fortes, depois que mexeram a gente viu que melhorou. Mas, os concertos precisam ser feitos e o calçamento poderia ter sido melhor”, conta.
A ordem de serviço no local foi dada pelo prefeito Vladimir Azevedo no dia 30 de maio e as obras cumpriram o prazo de entrega que estava previsto para dezembro.

CONSERTOS
Em contato com a construtora responsável fomos informados que a pessoa responsável não estava na cidade e que o problema deveria ser repassado à prefeitura através da Usina de Projetos.
De acordo com o superintendente adjunto da Usina de Projetos, Cleber Aguiar Evangelista a obra no local já foi terminada e que não tem conhecimento dos bueiros abertos. “Aqui para mim não chegou nenhuma reclamação, mas vou pedir para verificar”, afirmou.
 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.