quarta-feira, 14 de Dezembro de 2011 11:05h Atualizado em 14 de Dezembro de 2011 às 11:31h. Sarah Rodrigues

CEF esclarece dúvidas quanto ao “Minha Casa, Minha Vida”

Construtora justifica que 30 casas fazem parte do Vila das Roseiras II e podem ser locadas e vendidas

Paralelo ao conjunto residencial “Vila das Roseiras”, construído através do programa “Minha Casa, Minha Vida” da Caixa Econômica Federal (CEF) em parceria com o município, a empresa responsável pelo empreendimento também construiu mais 30 casas nos mesmos moldes do conjunto para serem comercializadas.


Segundo o gerente regional da CEF, José Antônio, as 30 casas foram construídas no terreno pertencente a construtora e é um projeto paralelo ao “Minha Casa, Minha Vida”, apesar de ter os mesmos moldes das casas. As residências referidas ficam na última rua do condomínio denominada Pedro Martins Machado e estão de frente às casas que realmente fazem parte do programa. Elas possuem as mesmas cores, o mesmo estilo de telhados, a estrutura de portas e janelas também são idênticas.


De acordo com Sebastião Fernandes engenheiro da construtora responsável pela obra do conjunto residencial “Vila das Roseiras” as 30 casas fazem parte do “Vila das Roseiras II” e apesar de ter o formato das residências do programa elas têm acabamento e plantas diferenciadas, além de possuírem lajes e piso de cerâmica. De acordo com Sebastião as casas foram terminadas antes do conjunto das 463 residências, por isso já possuem alguns moradores.
Mesmo considerando que as casas do programa estão avaliadas pela CEF cerca de R$ 42 mil, enquanto as casas do Vila das Roseiras II estão avaliadas com uma média entre R$ 90 a R$ 100 mil reais. 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.