terça-feira, 20 de Dezembro de 2011 11:54h Atualizado em 21 de Dezembro de 2011 às 09:43h. Sarah Rodrigues

Chuva: buracos, alagamentos e deslizamentos

Com a intensa chuva que começou na sexta feira diversos estragos foram contabilizados na cidade durante o final de semana. O Corpo de Bombeiros registrou 20 ocorrências relacionadas à alagamentos, inundações, deslizamentos de terra e queda de árvores

Com a possibilidade de chuvas intensas a Defesa Civil colocou a população em alerta para a segurança durante o período. Desde a última quarta-feira chove continuamente em Divinópolis causando alagamentos, inundações, deslizamentos de terra e queda de árvores.


O final de semana foi de muitas ocorrências relacionadas ao clima, com a forte chuva de sexta-feira (16) a avenida Governador Magalhães Pinto sofreu um deslizamento de terra e foi interditada no final da tarde até a manhã de sábado. De acordo com Adilson Quadros, coordenador da Defesa Civil a rede de drenagem pluvial próxima à avenida com vazão de mais de um metro não suportou a quantidade de água e estourou. Além dessa ocorrência ele explica que outras ocorrências menores foram registradas, mas quem atende aos chamados primeiro são a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros. “A Defesa Civil trabalha para somar esforços, nosso trabalho maior foi preventivo, tiramos 48 famílias de áreas de risco desde 2009, então possíveis problemas estão relativamente resolvidos”.
Quadros ressalta que o rio Itapecerica está com o nível de 3.06 acima, número considerado normal. Ele enfatiza que as cidades vizinhas de Itapecerica e Cláudio também estão sendo monitoradas pelo município já que fortes chuvas nos locais contribuem para a cheia do rio Itapecerica. “A previsão de chuvas nessas cidades deve ser entre 25 a 33 milímetros, nós monitoramos de hora em hora durante o período chuvoso. A situação está sob controle”, afirma o coordenador.


De acordo com a assessoria de comunicação do Corpo de Bombeiros desde a sexta-feira (16) foram registradas 20 ocorrências pelo órgão, entre quedas de árvore, alagamento, inundações e pedidos de corte de árvores. O órgão informou que o efetivo continua de plantão, já que as previsões meteorológicas apontam chuva para os próximos dias.
Segundo a assessoria de comunicação da Polícia Militar, as principais ocorrências foram em relação à alagamentos, inundações, esgotos que retornaram e a interdição da avenida Governador Magalhães Pinto. Além disso, no bairro Bom Pastor durante a madrugada de sábado, um grande volume de água se acumulou provocando a queda do muro, que atingiu uma residência e danificou o reboco. O desmoronamento ocorreu em aproximadamente 14m de extensão da construção.


Na avenida Bom Sucesso próximo ao número três mil também corre o risco de desmoronamento, segundo informou a PM.

ESTRAGOS
Na tarde de ontem (19) quando as chuvas cessaram por algumas horas os estragos da chuva foram contabilizados. Os buracos se espalharam por toda a cidade, em todos os bairros foram constatados calçamentos levados pela força da enxurrada, nos bairros centrais que possuem pavimentação asfáltica foi possível ver o calçamento abaixo dos buracos, como nos bairros Esplanada, Porto Velho, Niterói entre outros.
Pela manhã alguns córregos como nos bairros Santa Teresa e Sagrada Família transbordaram chegando até a rua. A moradora do Santa Teresa  Marília de Oliveira ficou com medo do córrego chegar até a sua casa. “A chuva nem estava tão forte, quando vi o córrego já estava cheio e chegou até a rua, veio aproximado, aproximando até o meu muro, a gente ouve falar dos alagamentos e fica com medo né?” conta.
Após a estiagem das chuvas os córregos baixaram e foi possível observar a vegetação ciliar deitada, pois foi tomada pela água.


Nas ruas que foram alagadas foi possível ver os buracos que se abriram, na avenida Ayrton Senna o estrago foi grande. Do lado esquerdo da via, sentido Interlagos houve deslizamento de terra e uma cratera se formou, os moradores da região temem que se as chuvas continuarem intensas o asfalto possa ceder.
A avenida Governador Magalhães Pinto que foi interditada na tarde de sexta feira recebeu terras na encosta por parte da prefeitura Municipal de Divinópolis e já está liberada para o tráfego. Na pista vários buracos se formaram devido a chuva, além disso uma mina de água próxima á pista fez com que o lado direito sentido Icaraí ficasse alagado durante todo o dia.
Próximo ao local às margens da MG 050 um escoramento de sacos de areia também cedeu, causando um grande vão com o deslizamento de terra, que não chegou a atingir a pista.

MINAS


Dezoito cidades de Minas Gerais declararam estado de emergência, em consequência de temporais que atingem o estado nos últimos dias. A Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec) já recebeu 42 notificações sobre problemas graves causados pela chuva. A região Centro Oeste também contabiliza estragos uma ponte em Pitangui cedeu, em Pará de Minas dois rios que cortam a cidade transbordaram inundando casas no domingo. Em Conceição do Pará águas do rio Pará invadiram uma casa e, por sorte, os moradores conseguiram sair a tempo. Ruas e avenidas que ficam no entorno do ribeirão também ficaram alagadas. Militares de Nova Serrana também foram chamados para socorrer famílias ilhadas, no bairro São João de Cima, em alguns pontos o transporte era feito por meio de um barco. Ao todo 25 pessoas ficaram desabrigadas. 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.