sexta-feira, 23 de Dezembro de 2011 18:11h Atualizado em 23 de Dezembro de 2011 às 21:38h. André Bernardes

Comércio irregular aumenta com a chegada do Natal

Com a chegada do Natal e o aquecimento do comércio, trabalhadores irregulares vão para as ruas venderem seus produtos. Para coibir esse tipo de ação, a prefeitura está realizando uma fiscalização rigorosa em horários alternados para apreender o material irregular que é vendido nas ruas.
Quem nunca viu os vendedores de rede, cintos ou brinquedos parados nas esquinas? Algumas pessoas acham que a fiscalização da prefeitura não é positiva, pois coíbe quem quer trabalhar honestamente. Porém o secretário de Meio Ambiente, Pedro Coelho, explicou que a medida visa a segurança da população e um respeito com os comerciantes legalizados. “Nós temos que colocar uma ordem na cidade. Do mesmo jeito que estas pessoas estão trabalhando na irregularidade tem os outros que estão pagando seus impostos, o aluguel da loja, gerando empregos com carteira assinada. Então se o poder público não agir da forma correta, vamos ter uma Divinópolis como era no passado, tomada por ambulantes que atrapalham o comércio local, a segurança, já que junto com essas pessoas que querem trabalhar também existem bandidos. Como muitos são de fora acontecem pequenos delitos e não tem como pegar essas pessoas pois estão sem documentação, mudam de cidade. Essa questão de móveis, por exemplo, não é correto você pagar um tributo de móveis fabricados em outros estados, traz o caminhão para nossa cidade e ocupa um espaço público para a venda sem pagar imposto nenhum,  sem ter controle de qualidade nenhum” explicou.
Muitos consumidores não param para pensar, mas ao comprar um produto clandestino, além de colaborar com o comércio ilegal, está levando para casa um produto sem controle de qualidade, o que pode gerar consequências graves. A prefeitura está realizando fiscalizações em horários estratégicos e apreendendo os produtos irregulares. Na sala de Pedro Coelho, uma variedade de produtos está aguardando um destino dentre móveis, brinquedos e perfumes falsificados, que pode gerar graves problemas de saúde. “Nós otimizamos a fiscalização nessa época do Natal, pois sabemos que é um atrativo para os ambulantes que não estão regulamentados pelo município, então vamos com nossa equipe e é importante que nós estamos fazendo este tipo de fiscalização em horários alternados pois são pessoas que sabem das artimanhas da fiscalização. Esse material vem para a secretaria, nós os guardamos por um prazo de 60 dias, para a pessoa poder pagar a multa e resgatar o material e caso não aconteça esse resgate nós levamos para doação e quando é material que não pode ser doado eles são incinerados” disse  Pedro.
Somente este mês já foram feitas sete apreensões totalizando 150 mercadorias, entre alicates, brinquedos e perfumes. A prefeitura pede apoio da população para que não fomente esse tipo de comércio. “São produtos clandestinos, sem controle de qualidade. A pessoa está comprando um produto ilegal e pode gerar um transtorno para o consumidor. Temos conseguido contornar este problema e quem ganha é o lojista e o consumidor” finalizou.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.