sexta-feira, 25 de Novembro de 2011 14:24h Flaviane Oliveira e Flavia Brandão

Creche no Afonso Pena poderá ser municipalizada

Secretaria Municipal de educação nega qualquer possibilidade de fechamento da creche

Mães das crianças que utilizam o serviço da creche do bairro Afonso Pena procuraram o vereador Rodyson do Zé Milton (PSDB) para falar da preocupação com o possível fim do convênio do município com a Aliança Divinopolitana de Assistência e Promoção (ADAP), o que inviabilizaria o funcionamento da creche.  No local são atendidas 77 crianças, divididas entre o berçário, e educação infantil 1, 2, 3 e 4.
De acordo com o vereador, a creche de nome Centro de Educação Infantil Pequeno Mundo funciona por meio de um convênio firmado entre a prefeitura e a direção da ADAP, “A associação não acha interessante que seja feito com a prefeitura um convênio, para uma parceria que atenda o berçário e alunos de três a cinco anos e infelizmente a ADAP está sinalizando que não vai fazer esse convênio com a prefeitura” explicou o vereador no início dessa semana.


Ainda na última semana Rodyson declarou que a prefeitura fez uma proposta anterior de municipalização em regime de parceria com o bairro, “A minha preocupação é da situação não agilizar esse processo porque nós estamos terminando o ano letivo” disse o vereador.
Porém nos últimos dias as negociações continuaram e de acordo com Maria de Fátima Bueno, gerente de planejamento e avaliação educacional do município, não há qualquer possibilidade de que a creche seja fechada e a previsão na verdade é de que o serviço possa receber melhorias.

 

 

PARCERIA


A informação de que a creche não corre riscos de ser fechada foi confirmada pelo vereador ainda na tarde da última quarta feira (23), “Tivemos uma reunião com o responsável pela ADAP juntamente com membros da secretaria de educação, estivemos juntos com a comissão de educação. A ADAP quer firmar um convênio com o município ou mesmo firmar um convênio juntamente com a prefeitura” esclarece o vereador.
Ainda de acordo com Rodyson, além de 95 mil reais por ano, repassados para a creche, a alimentação das crianças é custeada pela prefeitura. Alguns cargos como o de educadora parte do setor administrativo também são pagos pela prefeitura, “Fica inviável para a ADAP auto sustentar a creche” avalia. Dessa forma a possibilidade é de que uma nova reunião seja realizada na próxima semana.

 

MUNICÍPIO


Fátima explica que de forma alguma a creche terá as portas fechadas e que na verdade a intenção do município é de ampliar o atendimento das crianças em idade escolar na cidade. Portanto levar as crianças de quatro e cinco anos para outras instituições que fazem o atendimento escolar e firmar convênios para manter o funcionamento do berçário e crianças de até três anos é uma possibilidade avaliada. Ainda de acordo com Fátima, o município tem trabalhado no sentido de ampliar o número de creches e instituições que fazem o atendimento pré escolar.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.