terça-feira, 20 de Dezembro de 2011 11:41h Sarah Rodrigues

Dificuldade em atravessar passagem de nível

Condutores que trafegam por algumas passagens de nível que sofreram intervenções da FCA (Ferrovia Centro-Atlântica) reclamam da dificuldade em atravessá-las. Eles relatam que as pedras colocadas nos locais pela empresa têm causando danos aos veículos

Quem precisa atravessar as passagens de níveis têm reclamado de dificuldades ao fazer a travessia. Motoristas relatam que após algumas intervenções por parte da FCA (Ferrovia Centro-Atlântica) e a o término da obra com pedras colocadas sobre o asfalto tem trazido transtornos.
Os motoristas relatam que nas passagens do bairro Catalão e São Roque são as mais criticas. Condutores relatam que após um motorista de van ter pneus estourados devido as pedras na rua Itambé no bairro Planalto com muitas reclamações da população o problema foi resolvido.


No Catalão, as pedras colocadas no local têm atrapalhado os motoristas. Mas, a situação mais critica segundo os condutores é na rua Pernambuco no bairro São Roque. Eles relatam que quando a passagem de nível teve a modificação por parte da empresa as pedras colocadas causaram queda de motociclistas que têm que manobrar muito para se desvencilhar das pedras. Após certo período a empresa colocou um tipo de areia no local por cima das pedras, que melhorou um pouco a travessia, mas boa parte foi lavada com as chuvas recentes.
De acordo com o motorista Hilton Nogueira muitos motociclistas escorregaram ao fazer a travessia. “Não só os motoqueiros, meninos de bicicleta também, sem falar dos carros que tiveram pneus cortados com as pedras viradas para cima relata”.


Com as chuvas constantes a areia jogada por cima das pedras foi lavada, dando lugar a buracos no asfalto e a volta das pedras, alvo de reclamações constantes da população.
Além disso, os condutores relatam que a grade das calhas de escoamento de água, que ficam pouco antes da linha férrea estão constantemente soltas e fazem muito barulho quando os veículos passam por elas.
Os ônibus que fazem a linha São Roque e Tietê são os mais prejudicados com a situação, segundo a população após a mudança na passagem de nível os ônibus que vão sentido bairro quando estão subindo a rua Pernambuco são jogados para a direita da via, pois se seguirem reto batem a traseira na rua devido ao rebaixamento. Contudo, os veículos passaram tanto pelo local que um buraco se abriu, impedindo a continuidade da manobra, mas as marcas das rodas dos ônibus continuam no local.


“Se a gente não passar bem devagarinho sai prejudicado. E não só a velocidade de observar se o trem está vindo não, é devagar mesmo, senão o prejuízo é certo”, conta o motociclista Tiago Menezes. Ele observa que os veículos diminuem a velocidade quando estão passando pela passagem de nível, com medo de terem danos nos seus automóveis.

MELHORIAS
A reportagem da Gazeta entrou em contato com a assessoria de comunicação da FCA, para saber se há uma previsão de melhorias nas passagens de nível, ou a possibilidade de troca das pedras por outros materiais, mas até o fechamento da edição não obtivemos retorno.
 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.