sexta-feira, 23 de Dezembro de 2011 18:15h Atualizado em 23 de Dezembro de 2011 às 21:37h. Sarah Rodrigues

Divinópolis terá banco de leite materno

A partir de 2012 município poderá aumentar índice de aleitamento

A partir de 2012 Divinópolis terá um banco de leite, que ajudará mães que não conseguem amamentar, que querem voltar a amamentar e aquelas com problemas durante a amamentação. Segundo a secretária municipal de saúde, Rosenilce Cherie Mourão, o banco de leite beneficiará crianças em condições de fragilidades, como bebês prematuros, que precisem de ficar no CTI entre outros.
A secretária ressalta que bebês que tenham alergias severas a leite, que precisem ser internadas ou que necessitem de leite serão beneficiadas. “Vai ser um presente maravilhoso para a cidade. O Banco de leite já estava contido no programa do governo e de fato, o banco de leite humano irá fazer uma diferença muito grande na perspectiva de recuperação de crianças em condição especiais de fragilidade”.
Segundo Cherie com o leite humano, as crianças debilitadas têm mais chance de recuperações e se reabilitam mais rapidamente do que aquelas que utilizam leite artificial. “A Sociedade Brasileira de Pediatria é nitidamente favorável à utilização apenas de leite humano para essas crianças que estão debilitadas, porque as estatísticas são gritantes de mostrarem que é possível evitar muitos problemas quando se dá o leite humano, ao invés de leite artificial”.
De acordo com a secretária a Semusa percebeu que a cidade teria condições de ter doadores e suprir a demanda de aleitamento materno.“Aqui com certeza em Divinópolis teríamos capacidade de captar muitas doadores de leite, para que a gente possa ter um estoque para todas essas crianças que precisam de cuidados especiais”.
Um projeto com o detalhamento do custo de implantação e o custeio mensal foi realizado pela Semusa. “Só que para implantar o banco é necessário ter recursos e todo um aparato para poder fazer esse trabalho com as doadoras, receber leite, processar esse leite que precisa ser pasteurizado, e depois armazenar e dar o devido destino”.
A secretária conta que através da intercessão do prefeito Vladmir Azevedo junto a um empresário da cidade que se sensibilizou e contribuirá através do FIA (Fundo da Infância e Adolescência) “Ele se sensibilizou pelo projeto, reconheceu a importância disso e irá através do FIA apoiar o projeto. Ou seja, ele irá deduzir do imposto de renda que teria que pagar e irá destinar isso para o FIA para poder bancar a implantação desse banco de leite. Nós ficamos muito felizes e estamos esperando isso se consolidar para que possamos no ano que vem trabalhar neste projeto”.
Além de oferecer leite humano para as crianças, o banco de leite também irá ajudar a manter o índice de aleitamento materno. “Para toda mulher que tenha problema com amamentação, nesse banco de leite ficará sendo como um SOS da amamentação, teremos pessoal especializado para poder lidar com as mulheres que estão com qualquer dificuldade na amamentação”, explica.
Cherie avaliou que para o Banco começar a funcionar mais rápido deverá ficar em um imóvel alugado que será adaptado para receber o material.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.