quarta-feira, 28 de Dezembro de 2011 12:03h Flaviane Oliveira

Divinopolitanos devem controlar gastos para entrar 2012 no azul

Anotar despesas e evitar uso de cartões de crédito são algumas das medidas a serem tomadas

Com a chegada do Natal e as festas de fim de ano, muita gente acaba gastando mais que o planejado e entra o novo ano no vermelho. Em janeiro as despesas como IPVA, IPTU e gastos com inicio do ano letivo tomam grande parte do orçamento dos divinopolitanos e é nessa hora que poupar e tomar cuidados com gastos excessivos se torna a melhor escolha.
O economista Célio Tavares explica que na hora de organizar as finanças três ações são muito eficazes, “Sem dúvida nenhuma o controle das finanças é o desejo de todas as pessoas” ressalta. Entre as atitudes a serem tomadas a primeira delas é é passar a anotar todos os gastos e fazer os controles, “Aquilo que a gente não anota nós não temos como administrar, então a primeira atitude da pessoa é passar a relacionar as suas receitas e as suas despesas e quanto ela gasta por mês e isso é fundamental” frisa o economista. Célio destaca que o ato de contabilizar gastos não é muito comum aos brasileiros, porém essa é uma atitude importante pois “serve para que a pessoa saiba onde se pode fechar as torneiras para controlar suas finanças. Ela vai ver que quando fizer as anotações de gastos irá se assustar com o tanto que tem gasto” destaca o economista.
É importante saber quais rendas são regulares ou eventuais. As fontes de recursos mais importantes devem ser priorizadas, mas as complementares também devem ser acompanhadas e ter em mente que cada centavo é importante. Já quando se fala em despesas o ideal agrupá-las como moradia, alimentação, saúde, lazer, transporte, educação, financeiras e pessoais.

PLANEJAMENTO
Aline Silva já teve grandes problemas por gastar muito e sem planejamento, mas hoje guarda parte do que ganha para garantir uma reserva e se sente aliviada por ter saído das dívidas com o cartão de crédito. E a questão do crédito fácil se enquadra na segunda atitude  para começar o ano com as finanças em dia, “A pessoa deve ter cuidado e não cair na tentação do crédito fácil, hoje nós temos crédito para todo jeito, as pessoas tem vários tipos de cartões de crédito, pagam a anuidade de cada um deles, contas no banco. Para que isso? As lojas e supermercados oferecem  cartão fidelidade no intuito de facilitar e levar o cliente a comprar mais. Isso tudo custa muito caro e é uma tentação para o crédito. Então se ela tem um cartão, passa o cartão, financia, depois paga o valor mínimo e vai arrolando aquela dívida e depois fica muito caro e então a segunda atitude é não cair na tentação do crédito fácil. Se preservar para não cair na tentação” revela o economista.
A terceira e última atitude é adaptar o padrão de vida ao valor ganho mensalmente, “Tem gente que a vive a vida inteira tendo um padrão de vida acima da sua capacidade e isso fica muito caro e custa muito porque a pessoa acaba se endividando e entra numa ciranda financeira e dependendo do tamanho que está fica muito difícil sair, porque fica uma dívida muito elevada” explica Célio Tavares. O economista alerta ainda que ter grandes dívidas pode acarretar inclusive alterações da saúde como depressão e ansiedade.

POUPAR
Para quem opta por poupar, deve ter em mente que a escolha implica em fazer sacrifícios, além de ter dedicação e controle, “Se a pessoa conseguir guardar 10% do que ganha, vai conseguir fazer uma reserva e isso é muito importante até por eventualidades que possam aparecer, mas para a maioria das pessoas é muito difícil tirar 10% por não terem noção do quanto gastam por mês” analisa o economista.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.