terça-feira, 13 de Dezembro de 2011 13:36h Flaviane Oliveira

Divinopolitanos reclamam a falta de telefones públicos em Divinópolis

Atos de depredação e vandalismo são os principais responsáveis pela falta de orelhões


O telefone público, mais conhecido como “orelhão” se faz presente em mais de 5,5 mil cidades do país, representando mais de um milhão de aparelhos disponíveis inclusive nas áreas onde não há disponibilidade de linhas residenciais. Porém com a chegada dos aparelhos celulares, os telefones públicos foram deixados um pouco de lado e passaram a ser alvo constante de vandalismo. Com isso, aqueles que ainda fazem uso constante dos telefones públicos afirmam que em determinados bairros da cidade teem encontrado dificuldade na hora de fazer uma ligação, pois consideram que em alguns pontos do município é difícil encontrar orelhões próximo dos locais onde moram.


A reportagem entrou em contato com a empresa responsável pela manutenção e instalação dos aparelhos e foi informada de que Divinópolis possui 1.596 telefones públicos instalados. A empresa informou ainda que o percentual de vandalismo é semelhante ao do Estado e que a retirada ou colocação de qualquer um dos aparelhos é feita de forma estratégica, “A Oi eventualmente remaneja alguns terminais de uso público para otimizar o atendimento em determinadas áreas. A empresa investe constantemente em estudos de sua planta telefônica e, se for verificada ociosidade de alguns telefones públicos, eles podem ser transferidos para áreas de maior demanda - sempre respeitando a regulamentação da ANATEL” explicou a assessoria de comunicação.


A empresa esclareceu ainda que nos 10 primeiros meses de 2011, foram danificados por atos de vandalismo, em média, 15%% dos 90 mil orelhões instalados no estado de Minas Gerais. No mesmo período, a companhia afirma que realizou a substituição de cerca de 300 campânulas dos orelhões por mês, “A Oi recebe solicitações de reparo de consumidores e entidades públicas por meio do canal de atendimento 103 31” destacou a OI.

 


ACESSO


De acordo com a Agencia Nacional de Telefonia (ANATEL), as concessionárias responsáveis pela implantação dos telefones públicos devem atender a uma série de exigências, como disponibilizar instruções claras sobre a forma de utilizá-los. Cada telefone público deve ainda apresentar o código de seleção das operadoras, para que o usuário tenha liberdade de escolher a empresa de sua preferência. O regulamento diz ainda que os cartões telefônicos usados para a realização das chamadas precisam receber a certificação da ANATEL.
Divulgar na internet e em lojas de atendimento a lista com os endereços dos postos de venda de cartões é mais um critério feito pela instituição às prestadoras. A ANATEL determina ainda que os telefones públicos de regiões que possuem apenas um aparelho devem realizar ligações nacionais e internacionais e funcionar 24 horas. Para obter mais informações sobre o uso e disponibilidade dos “orelhões”, instalação de telefones públicos, basta acessar a página www.anatel.gov.br. A ANATEL oferece ainda uma série de serviços aos usuários, como a consulta ao local de todos os orelhões espalhados pelo país. 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.