sexta-feira, 16 de Dezembro de 2011 17:02h Atualizado em 16 de Dezembro de 2011 às 22:55h. Flaviane Oliveira

Doutores Palhaços mobilizam Divinópolis para ajudar menina de oito anos

Por causa da microcefalia e paralisia cerebral Maysa precisa fazer vários tratamentos

Ao completar seis meses na barriga da mãe, Maysa nasceu com 755 g e por causa da prematuridade teve hemorragia cerebral grau IV. A hemorragia deixou sequelas graves: uma microcefalia e a paralisia cerebral. Após o nascimento a menina passou três meses no CTI e os médicos acreditavam que ela não ia sobreviver devido à gravidade do caso. Hoje os pais da pequena Maysa agradecem à Deus pela vida da menina, que vem passando por várias etapas do tratamento e tem vencido todas elas. Maria Aparecida Diniz Silva, mãe de Maysa relembra o diagnóstico inicial dos médicos, “Eles falaram que ela ficaria em estado vegetativo e não teria movimento nenhum e como pode ver ela já mexe e está quase sentando sozinha. Ela surpreendeu as pessoas, o médico, a família porque ela tem uma força de vontade enorme, uma alegria enorme” se emociona a mãe. No próximo ano a menina fará uma cirurgia no quadril e assim dará os primeiros passos aos oito anos de idade.
Hoje a maior dificuldade que a família de Maysa encontra para continuar o tratamento da filha é a dificuldade de locomoção, “Às vezes é difícil sair para tratamento e escola, mas ver o tanto que ela já desenvolveu graças ao tratamento desde que ela nasceu, isso para mim já é uma recompensa” conta Maria Aparecida. Acompanhando as dificuldades vividas pela família o grupo Doutores Palhaços de Divinópolis está realizando uma campanha para arrecadar doações para a compra de um carro para facilitar o transporte de Maysa.

DIFICULDADES
Maysa faz uma série de tratamentos que incluem fisioterapia, hidroterapia, fonoaudiologia e terapia ocupacional, em horários alternativos e a mãe da menina cumpre a missão de dedicar a vida ao bem estar da filha. O pai Eduardo Venâncio da Silva é pedreiro, autônomo e teve que se submeter a uma cirurgia ficando obrigado a vender o carro que tinham, para que não faltasse nada à família, enquanto se reestabelecia. A família acredita que comprar outro carro é complicado, pois os tratamentos da Maysa não ficam baratos e com isso não sobra dinheiro.
A rotina de Maysa é corrida, “Eu saio com ela todos os dias porque ela faz tratamento em uma clínica e todos os dias ela vai para a escola à tarde e é complicado porque tem que pegar ônibus com a cadeira de rodas. Agora graças a Deus deu uma melhorada porque eles colocaram mais um ônibus com elevador na linha, mas tem hora que não tem elevador e às vezes temos que pegar o ônibus duas ou quatro vezes ao dia dependendo do horário. É bastante complicado e ainda mais com esse tempo de chuva agora que é pior e nem com a cadeira eu consigo sair e ai eu tenho que carregar no colo. Apesar dela ter só oito anos ela já está quase do meu tamanho, ela já está com 1,6 m, então é bem complicado carregar mochila, ela no colo, sombrinha, é bem complicado” conta a mãe de Maysa.

CAMPANHA
Ao realizar a campanha, os Doutores Palhaços pedem um valor simbólico, mas que será de grande valia, “Se 10% da população de Divinópolis doar R$1,00 cada, já teremos o suficiente para comprar um bom carro” explica Cidah Viana no email que está sendo divulgado. Qualquer valor é bem vindo e a ajuda de todos será muito importante.
Durante a campanha foi aberta uma conta para que os depósitos sejam feitos na Caixa Econômica Federal. E a cada doação os extratos e o nome dos doadores estão sendo divulgados no blog doutorespalhacosdivinopolis.blogspot.com. Aqueles que quiserem doar podem fazer o depósito na agência: 0113, operação 013, conta 38353-4. A campanha será finalizada no Natal.


 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.