quarta-feira, 14 de Dezembro de 2011 13:32h Sarah Rodrigues

Falta de energia traz prejuízos aos consumidores

Bairro Esplanada sofre queda em alguns trechos

Os moradores da rua São João Del Rei no bairro Esplanada têm ficado transtornados com os picos de energia frequentes na região. Segundo a população quando começa a chover as quedas de energia ficam repetitivos e durante todo o final de semana houve picos.
De acordo com o empresário Marcelo Mateus de Almeida os picos de energia são constantes na região durante o período chuvoso, e que no final de semana o prejuízo foi maior. “A gente teve falta de energia das 14h às 18h no domingo, e na segunda feira a oscilação começou por volta das 16h e acabou as 23h30”.


O empresário que possui uma quadra de futebol society com lanchonete, conta que teve prejuízos com a falta de energia já que ganha por hora. “A gente liga para lá e eles falam que em um prazo de 4 horas estará normalizado, só que é um caso isolado, o resto da cidade todinha estava com luz. Querendo ou não se eles não jogam a minha hora é R$ 85 vezes as cinco horas, tive um prejuízo de R$ 425 em um dia.A minha conta de luz fica entre R$ 900 a R$ 1100 e eu acho que é uma irresponsabilidade da empresa de tratar a gente desse jeito”, explica.
Marcelo relata que no campo de futebol a luz ficou baixa e seus clientes foram embora, por não conseguirem jogar. “Oscilou e a gente ficou com uma luz aceso, outra apagada, a iluminação ficou baixa e os freezers não estavam funcionando, na lanchonete não vendi nada porque a maioria das coisas que vendo são congeladas, é irresponsabilidade demais”.


De acordo com o empresário além do prejuízo com a falta de energia por não poder receber os clientes, algumas de suas luminárias apresentaram problemas após a última oscilação. “Depois da última oscilação, dois dos meus reatores não voltaram, além de perder meu lucro se não funcionarem perdi mais R$ 100, quase 50% do valor da minha conta de energia”, acrescenta.


O fato que mais chama a atenção dos moradores é que somente em poucos quarteirões da rua é que falta energia, no resto do bairro e em ruas acima o abastecimento é normal. “Ocorre somente neste trecho aqui e é um trecho em que as pessoas fazem caminhada, tem o perigo de assalto, tem um restaurante aqui perto que oferece marmita e eles ficaram todo atrapalhados, porque sem iluminação como eles trabalham, eles têm que entregar janta”.
Segundo os moradores o problema da oscilação é mais frequente durante o período chuvoso. “É só chover que dá problema de oscilação, eu até entendo quando chove muito e várias áreas da cidade ficam sem luz, mas só o nosso ponto e ficar quatro horas é muito ruim, é muita irresponsabilidade por parte da Cemig”, explica o empresário.

 

 

MELHORIAS
Em contato com a assessoria de comunicação da Cemig a reportagem da Gazeta foi informada que era necessário o número de instalação de pelo menos um dos clientes que fez a reclamação. Quando tentamos contato com a assessoria novamente durante o fechamento da matéria as 17h30 não obtivemos retorno.
 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.