terça-feira, 22 de Novembro de 2011 09:26h Sarah Rodrigues e Paulo Reis

Índice de aprovação no exame CNH é baixo

Segundo o delegado responsável, o alto número de alunos tanto iniciantes quanto reprovados e o prazo de validade da pauta, são os principais motivos do baixo índice de aprovação

Nos últimos dias houve muitas reclamações referentes ao número de reprovações de candidatos a obterem a tão sonhada CNH (Carteira Nacional de Habilitação). Segundo o delegado de trânsito da Polícia Civil, Fernando Vilaça, não é que a reprovação seja alta, o número de candidatos iniciantes, com o número de repetentes é que se mistura causando a impressão.


Vilaça enfatiza que no geral o número de aprovação em Divinópolis é baixo. Mas, devido a “pauta”, ou seja, o tempo para conseguir tirar a carteira é de apenas 1 ano, os candidatos realizam as provas com maior intensidade. “O índice de aprovação gira em torno de 30% então é um índice baixo. Qualquer candidato que for reprovado hoje, daqui 15 dias ele está de volta, e em 15 dias já tem candidatos iniciantes. Em razão disso, nós pedimos em BH o apoio de outros examinadores. Em um dia por exemplo atendemos 650 candidatos, mas vem também um ônibus de examinadores, que consegue atender a demanda”, explica.


O delegado acrescenta que devido ao final do ano, das férias escolares, o número de candidatos aumenta consideravelmente. “Com a aproximação das férias escolares, o número de candidatos aumenta, muitos estudantes aproveitam o período de férias para fazer os exames. E também tem a questão de hoje o exame ter que ser finalizado em um ano, isso também contribui para que o número de candidatos aumente a cada banca”.
A mudança na pauta faz com que os candidatos queiram fazer os exames rapidamente para não terem que começar todo o processo novamente. “Antes o candidato tinha cinco anos de validade da pauta, muitos esperavam um pouco mais, hoje é de um ano, se ele perde já quer fazer outro exame logo, para não perder tudo, o que contribui para aumentar o número de candidatos por banca”.


O delegado explica que esse acúmulo causa desgaste nos examinadores que além de examinarem os candidatos ainda têm que cumprir a função policial. “No final do ano há um acúmulo, mas o recurso que temos é esse, porque o nosso número de examinadores aqui não consegue atender. Nós temos 9 examinadores para atender Divinópolis, Carmo do Cajuru, e Cláudio”, enfatiza.


Em Divinópolis de segunda a quinta feira ocorrem exames de legislação e pelo menos três vezes por semana são realizados os exames de direção na área de exames e na motopista.

 

 

CÂMERAS


O governador do Estado sancionou um decerto que exige câmeras de áudio e vídeo durante os exames de direção. “O decreto é do governador, e agora todos os veículos em que serão prestados exames, utilizados para exame de direção terão uma câmera de áudio e vídeo durante o exame”.
Sobre as câmeras o delegado explica que após o prazo previsto todos os veículos usados nos exames deverão ter o equipamento. “Temos um prazo, até porque o DETRAN pediu uma portaria regulamentando qual a especificação do equipamento e a partir daí entrando em vigor todo o veículo quando for fazer o exame deve ter esse equipamento nele”, avalia.


Para Vilaça, o candidato terá mais segurança ao realizar a prova com o sistema, pois ele foi desenvolvido para eliminar qualquer possível dúvida.“O sistema ainda não está funcionando. Mas, o candidato deve ficar mais tranquilo quando já estiver também funcionando, é uma segurança não somente para ele, como também para o examinador. Porque dessa forma não haverá dúvidas, o sistema foi desenvolvido para sanar as dúvidas”, ressalta o delegado.
 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.