quarta-feira, 21 de Dezembro de 2011 10:51h Sarah Rodrigues

Índice de Dengue diminui significativamente em 2011

“Vencemos a batalha, mas a guerra continua”

Durante assinatura do decreto do Plano de Contingência contra a Dengue no auditório da Semusa a secretária municipal de Saúde, Rosenilce Cherie Mourão, afirmou que os índices de Dengue em 2011 diminuíram significativamente em relação a 2010. Ela avalia que o município venceu a batalha contra a dengue, mas a guerra continua.


A secretária frisa que a população precisa constantemente verificar o seu domicílio e contribuir para a erradicação da doença na cidade. Ela enfatiza que no início do ano com o período chuvoso é que as notificações de dengue são intensificadas.
Mourão ressalta que várias ações foram desenvolvidas na Semusa em parceria com diversos órgãos para minimizar os impactos da Dengue. Entre as atividades, três decretos foram muito importantes para a eficácia do combate. O decreto 9.736 instituiu o programa “Agente Mirim”, em que a secretária agiu atividade em parceria com a Semed (Secretaria Municipal de Educação) nas escolas.
O decreto 9.728 instituiu as segundas-feiras às 12h a “Hora de Combate à Dengue” e a lei 9.783 implantou o “Disque-Denúncia” importante órgão para relato de focos.


Sobre a alegação de que a batalha está vencida, Cherie explica que cada ano é uma batalha e que a guerra é continua em todo o país. “De fato pelos números que nós apresentemos, nós vencemos a batalha, agora em 2011, mas a guerra continua, foi apenas uma batalha, a cada ano é uma batalha diferente e a guerra infelizmente continua, porque enquanto não tivermos a disponibilidade de uma vacina contra a dengue, teremos que aprender a conviver a afastar o problema”.


Rosenilce pontua que em relação ao último ano os casos diminuíram consideravelmente. “Em 2011 tivemos apenas 290 números de casos de dengue notificados contra 2010 que foi a pior das epidemias de mais de cinco mil casos, por isso eu disse que esse ano podemos considerar que vencemos a batalha e não a guerra”, ressalta a secretária.


Para Mourão, principalmente no início do ano as pessoas devem focar em contribuir para o combate da Dengue, principalmente durante o período chuvoso. “Os números de notificações têm uma manifestação sazonal muito nítida agora nos primeiros meses de cada ano, então os números de registro mostram que o perigo mesmo das manifestações da doença se iniciam agora no inicio de janeiro, então é sempre uma alerta muito grande”, alerta a secretária.

 

2011


Segundo Rosenilce em 2011 não foram apontados casos de complicações ou de dengue hemorrágica. “Nós temos sorotipos diferentes da dengue, o que está nos alertando mais é o risco de termos a introdução do DEN-4, que é o quarto sorotipo. Este sorotipo já foi identificado na região Sudeste do país, não em Divinópolis e toda a população está susceptível a ele”.


Nos arrastões realizados pela Semusa através dos agentes da vigilância epidemiológica foram recolhidos 21 toneladas de materiais e 6.395 pneus. Já nos mutirões de limpeza realizados em todas as seis regiões foram recolhidos 43,7 toneladas de materiais e todos os recicláveis foram doados à Ascadi. Mais de 12 mil bloqueios químicos com aplicação de larvicidas também foram realizados.
Durante a explicação Cherie apontou que 412.345 visitas pelos agentes foram realizadas para controle da Dengue. Mais de 21 mil pesquisas foram feitas para realizar o Liraa (Levantamento do Índice Rápido de Aedes Aegpt). Nos pontos estratégicos, locais que precisam de mais atenção foram feitas 1802 visitas.
 

 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.