terça-feira, 27 de Dezembro de 2011 10:35h Sarah Rodrigues

Inmetro deverá fiscalizar intensamente linhas de eletrodomésticos

A partir de janeiro aparelhos de 97 famílias de eletrodomésticos nacionais e internacionais deverão ser alvo de fiscalizações constantes do Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia Qualidade e Tecnologia). O motivo é que para ampliar a segurança dos produtos, principalmente no que diz respeito a parte elétrica os fabricantes, importadores e lojistas não poderão mais comercializar produtos eletrodomésticos que não atendam aos Requisitos da Avaliação da Conformidade (RAC), determinados pelo Inmetro.
Com a medida, segundo a Agência Brasil aparelhos de 97 famílias de eletrodomésticos nacionais e internacionais serão objeto de operações de fiscalização constantes feitas pelo órgão. Entre os itens a serem fiscalizados, estão campeões de vendas como ferros de passar roupa, torradeiras, sanduicheiras e fornos elétricos. Os produtos deverão atender a critérios técnicos de eletricidade como resistência e voltagem.
Patrícia Almeida comprou duas sanduicheiras em uma loja de eletrodomésticos. Uma ficou em sua casa e a outra presenteou um parente. Em pouco mais de um mês seu aparelho apresentou problemas e teve que ser trocado. Ela conta que a burocracia de troca foi tanta que teve que acionar o PROCON. “Estava quase desistindo, meu marido insistiu que comprar outra sairia mais barato. Mas, esse era um produto mais barato mesmo, e se fosse uma geladeira”, argumentou a consumidora.
Depois de entrar em contato com o PROCON a administradora conseguiu um produto novo, mas de outra linha. “Essa agora durou mais, o engraçado é a que eu presenteei a minha mãe funciona muito bem, se a gente tivesse trocado e a dela estragasse eu passaria vergonha”, brinca.
A nova medida com fiscalização intensa através dos órgãos responsáveis fará com que os problemas como de Patrícia ocorram em proporções menores.

MEDIDA
De acordo com gerente da Divisão de Programas de Avaliação da Conformidade do Inmetro, Leonardo Rocha, a importância da medida está no fortalecimento do mercado brasileiro e na maior segurança para os consumidores. “Queremos aumentar a qualidade dos eletrodomésticos. Com a implementação dessa medida, vamos fazer com que produtos de má qualidade não cheguem às mãos [dos consumidores]”, observou Rocha.
O técnico do Inmetro disse ainda que os fabricantes foram avisados sobre o prazo de enquadramento no RAC. Caso determinado produto não atenda aos requisitos impostos pelo Inmetro e isso seja verificado nas operações de fiscalização, corre o risco de ser retirado do mercado e o fabricante estará sujeito a pagar multa, que pode chegar a R$ 1 milhão.

CONFORMIDADE
O Inmetro não certifica os produtos que levam seu selo. A certificação é feita por um organismo acreditado pelo Inmetro. Ao acreditar o organismo, com base em critérios internacionalmente aceitos, o Inmetro o reconhece tecnicamente competente para efetuar a avaliação da conformidade de um determinado produto.
Adicionalmente, cabe destacar que a certificação é o mecanismo de Avaliação da Conformidade mais praticado no Brasil, mas não é o único. Existem outras, como a declaração do fornecedor e a inspeção.

 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.