quarta-feira, 30 de Novembro de 2011 11:05h Flaviane Oliveira

Juízes federais do Trabalho paralisam nesta quarta feira

A manifestação será realizada em todo o país

A mobilização dos juízes federais em defesa de segurança, melhoria nas condições de trabalho, política previdenciária, de saúde e melhor remuneração chega a sua semana decisiva. De acordo com a Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe) durante a terça feira (29), cumprindo o que foi decidido em assembléia geral, os magistrados enviaram à Advocacia Geral da União (AGU) as citações e intimações acumuladas desde o dia 17 de outubro. De acordo com o juiz Renato Prates, em todo o país, hoje (30), os juízes federais e do trabalho vão paralisar as atividades.


A paralisação em todo país é realizada justamente durante a Semana Nacional de Conciliação. Porém a associação destaca que a concentração de atos processuais nos processos da União foi a forma encontrada para pressionar o Executivo e não envolveu as ações urgentes, de concessão de benefícios previdenciários, de fornecimento de remédios pelo Serviço Único de Saúde (SUS), ou mesmo ações criminais, que continuaram tendo suas intimações e citações realizadas em prejuízos para a população.


A estimativa é de que nesta quarta, a paralisação conte com mais de 3.600 juízes trabalhistas com o intuito de chamar a atenção dos poderes Executivo, Legislativo e também do Presidente do STF.
Em nota divulgada no site da Ajufe, Gabriel Wedy, presidente da associação fala da luta dos magistrados em favor da maior valorização da carreira, “Precisamos construir uma agenda positiva para o Judiciário. As cúpulas dos Três Poderes precisam sentar à mesa e conversar sobre o assunto. Os juízes estão sem segurança, mais de 200 ameaçados de morte segundo o CNJ, embora o número na realidade seja bem maior. Nos últimos seis anos os juízes acumulam perdas inflacionárias nos seus subsídios de mais de 30%, tendo recebido no período apenas 8% na revisão destes” destacou.

 

 

CONVOCAÇÃO


A Ajufe convocou a todos os juízes federais para estarem presentes nas sedes das respectivas Seções Judiciárias e com isso debater os assuntos do interesse de todos os juízes e esclarecer toda a imprensa e opinião publica sobre os objetivos do movimento. A reportagem entrou em contato com a Justiça Federal de Divinópolis para confirmar a adesão dos juízes divinopolitanos à paralisação foi informada de que ainda não havia a confirmação da adesão dos magistrados na região. Até o fechamento desta edição, novas informações não haviam sido divulgadas.


De acordo com o secretário do foro do Trabalho em Divinópolis, Nelson Aparecido de Melo, é provável que os juízes da Justiça do Trabalho irão aderir a paralisação,  pois não há audiências marcadas para hoje e os magistrados estarão em viagem à capital mineira.
 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.