quarta-feira, 21 de Dezembro de 2011 09:29h Liziane Ricardo

‘Oposição’ já apresenta chapa para eleição do Sintram

Pleito está previsto para março de 2012

Um grupo com pouco mais de 50 servidores municipais está montando uma chapa de oposição a atual presidência do Sindicato dos Trabalhadores Municipais de Divinópolis e Região Centro Oeste (Sintram) para disputar as eleições previstas para março de 2012. Após um afunilamento durante as discussões de qual nome seria indicado para a presidência desta nova chapa, ficou consentido que o professor na rede municipal de ensino, João Madeira, encabeçasse como presidente da nova chapa.


Partindo desta empreitada, já foi dada a largada para a definição da chapa que conterá segundo o estatuto, cerca de 30 membros. “Nós já temos elementos suficientes para a composição da chapa. E julgamos que estamos com um quadro responsável de funcionários públicos de grande moral e ética para tomar frente do sindicato”, acredita Madeira.


Na oportunidade, a reportagem questionou ao pré-candidato se havia alguma intenção partidária por parte do grupo em relação a disputa pela presidência do sindicato, Madeira logo esclareceu que não: “ a nossa ideologia é única e exclusivamente os interesses do sindicato. Inclusive fui o primeiro presidente do Sintram que anteriormente era apenas uma associação, vindo a criar o sindicato” ressaltou. De acordo com o grupo a ideologia é manter um sindicato realmente representa seus sindicalizados, sob o papel de se comprometer com os direitos do trabalhador.
O edital para as eleições do Sintram deverá ser publicado ainda neste mês de dezembro, portanto a eleição e posse da nova diretoria estaria prevista para março de 2012. Em contrapartida, o atual presidente do sindicato, Silvânio Alves afirmou que pretende lançar chapa completa na próxima eleição, porém ainda não confirmou se sairá novamente como cabeça de chapa (presidente). “Irei compor a chapa, mas ainda não definimos posto de cada um dos 30 membros previstos” disse. Questionado sobre ter algum tipo de receio caso a chapa de oposição consiga se consolidar mais forte que a atual equipe, Silvânio acredita que não seja o caso de uma chapa ser mais forte ou não, para o sindicalista o importante que a categoria esteja interessada em defender os interesses dos servidores. “Acho a disputa muito natural e saudável”, frisou.


Já o pré-candidato a chapa de oposição volta a afirmar que a política a ser aplicada no Sintram será transparente, com responsabilidade e seriedade para que sejam prevenidos os ‘rombos’ aos cofres do sindicato como ocorrido nos anos de 2007 e 2008 avaliado na época em aproximadamente R$ 100 mil. Entretanto, com a auditoria concluída o valor informado foi de R$ 40 mil deixando margem para a chapa de oposição questionar onde foram  parar os outros R$ 60 mil. “Estamos fiscalizando e queremos saber sobre o valor real do ‘rombo’, parcelamentos, correção dos empréstimos, informações estas que foram vetadas na última assembleia em 7 de dezembro de 2011. Então se essa é uma coisa ilícita, deve ser tratado como ilícito e não como um ‘empréstimo’ seja aqui ou em qualquer lugar sob um critério de 60 meses para o pagamento. E nós como trabalhadores temos que fiscalizar”, argumentou.

 

 

EXECUTIVO


Considerando que a chapa seja consolidada nas eleições de março, em relação ao atual chefe do Executivo Vladimir Azevedo (PSDB) a nova chapa composta como ‘oposição’ explicou que pretende caminhar junto ao governo municipal. “Nossa primeira responsabilidade é com o trabalhador, já com a parte patronal, nós trataremos com ética, respeito, seriedade que temos com o prefeito. Sobretudo, não deixaremos de questionar e defender os interesses da classe. Contudo, tenho muito respeito com o Vladimir que foi inclusive meu aluno”, lembrou o pré-candidato.
Entre as propostas da nova composição, segundo Madeira a revisão do estatuto será uma das premissas a serem trabalhadas pelos 30 membros, considerando que o estatuto já está antigo.         
 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.