sábado, 10 de Dezembro de 2011 08:20h Atualizado em 10 de Dezembro de 2011 às 08:47h. André Bernardes

Ponte do Bairro Manoel Valinhas apresenta problemas

O início da ponte do bairro Manoel Valinhas apresentou grandes rachaduras na calçada. O alambrado que protege os pedestres está torto devido ao deslizamento da terra que está cedendo por causa das chuvas.
A ponte é a principal via de acesso ao bairro Manoel Valinhas. Uma grande rachadura surgiu na calçada. O cimento se distanciou do meio fio. Quem passa por lá todo dia está com medo da terra ceder e descer rumo ao rio. Maria Tereza passa todo dia pela ponte para ir trabalhar. “A rachadura está muito grande e eu tenho medo de cair o restante no rio” disse. Este mesmo problema ocorreu no ano passado. Com as chuvas, a terra que fica abaixo do passeio amolece e começa a ceder. Foi feito um aterro para solucionar a situação, porém em menos de um ano o problema voltou. “As rachaduras estão muito grandes, dá medo passar por aqui” disse Maria Tereza.
O superintendente da Usina de Projetos, Lúcio Espíndola diz que aquela ponte tem um problema no aterro que já foi detectado. Porém ele não tinha conhecimento das rachaduras no passeio. “Vamos ter que avaliar o que está ocorrendo no local e talvez refazer o aterro e concretar o passeio” disse. Lúcio garantiu que iria até o fim da tarde de ontem visitar o local junto com o secretário de Operações Urbanas, Adilson Quadros. “Ainda não sei o que precisa ser feito, mas deve ser uma obra rápida de no máximo quatro dias” explicou.
Porém as obras no local só devem iniciar depois do período de chuva. Lúcio acredita que será uma solução definitiva para o problema no local.

Obras paradas

Outra ponte com problemas é na divisa dos bairros Maria Helena e Ponte Funda. Em fevereiro deste ano a Gazeta do Oeste publicou uma matéria sobre o alargamento da ponte que liga os bairros. Dez meses depois nossa reportagem esteve no local e presenciou que as obras estão paradas. A obra avaliada em R$215 mil e que beneficiará 30 mil pessoas foi iniciada porém não foi dado andamento, não obtivemos resposta da secretaria responsável, pois devido ao feriado a prefeitura está em recesso. Porém os moradores cobram uma posição, já que o trânsito no local é perigoso,como a via é de mão dupla é necessário que um carro pare para que o outro possa cruzar a ponte.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.