sexta-feira, 16 de Dezembro de 2011 17:20h Atualizado em 16 de Dezembro de 2011 às 22:54h. Sarah Rodrigues

Temporal em Divinópolis, alaga ruas

Desde a última quarta chove continuamente em Divinópolis e a previsão meteorológica é de que durante o final de semana as chuvas sejam intensas com possibilidade de fortes temporais. Na tarde de ontem (16)uma forte chuva causou alagamentos e deslizamentos

Chove continuamente em Divinópolis desde a última quarta feira e a previsão meteorológica aponta que os próximos 4 dias serão chuvosos. A meteorologia ainda mostra que há riscos de temporais no domingo, dia de maior incidência das chuvas. Com o alerta os órgãos de segurança pública que compõem a Defesa Civil - Prefeitura Municipal, Corpo de Bombeiros e Polícia Militar recomendam que a população siga dicas de segurança.
Porém no fim da tarde de ontem (16) um forte temporal deixou ruas alagadas como Antônio Olimpio de Morais, bairros Nossa Senhora das Graças, Santa Tereza, Mangabeiras e Serra Verde, ocasionando também deslizamento de terra na Avenida Magalhães Pinto próximo a clínica São Bento Menni. Outro ponto atingido foi o Camelódromo na rua São Paulo onde os comerciantes perderam vários produtos por causa da chuva.   
De acordo com o Corpo de Bombeiros a pista no trecho entre uma siderúrgica e a clinica São Bento Menni na avenida Magalhães Pinto permanecerá interditada por tempo indeterminado. “O que aconteceu é que a princípio estourou uma lagoa perto do bairro Icaraí, com isto a água desceu alagando a Magalhães Pinto, com isto o local está muito perigoso tendo em vista que cedeu parte do asfalto no sentido, Bairro-Centro”, frisou o militar do corpo de bombeiros. O buraco atinge cerca de um metro de altura e será solicitada a avaliação de um engenheiro para efetivar a liberação do local.   

METEOROLOGIA
Segundo as previsões do centro meteorológico Divitempo, choverá em Divinópolis continuamente até a quarta feira e há a possibilidade de temporais. O final de semana será chuvoso e domingo o dia de maior intensidade, neste dia choverá entre 60 a 80 milímetros. O meteorologista Marius Costa explica que como está nublado desde a quarta-feira e o sol não apareceu até a terça feira os dias serão mais frios. “Deverá cair em torno de 46 milhões de litros de água nos cinco dias, e é recomendável para a população que no final de semana sejam feitos programas mais caseiros”, frisa.
Costa conta que já mandou diversos emails para órgãos de segurança pública desde agosto para informar sobre a chegada intensa do período chuvoso e possibilidades de grandes temporais.

RIBEIRINHOS
Quem mais teme a chegada de temporais é a população ribeirinha, como o rio Itapecerica subiu, os moradores receiam que as águas possam chegar até as suas casas, como ocorreu no final de 2008. Vânia Tavares Ribeiro mora às margens do Itapecerica na Avenida do Contorno, bem abaixo da ponte do Porto Velho, ela conta que na última cheia perdeu dois cômodos de sua casa. “Na última enchente eu perdi um quarto e a cozinha, que foram embora no rio, os móveis tive tempo de tirar e arrumei novamente”.
Vânia que mora há pelo menos seis anos no local não tem para onde ir, nem parentes próximos. “Eu não tenho condições de mudar daqui, não tenho para onde ir. Eu não pretendo sair daqui”, afirma.
Selma Paulino Carola mora há 15 anos próximo ao rio e conta que durante a última enchente a água entrou em sua casa e perdeu boa parte do seu quintal. “Mudar eu não vou, pois não tenho lugar para ir, agora vai encher e eu tenho que tirar os móveis dali. A prefeitura já esteve aqui, deu uma olhada, disse que é um risco”, conta.

ALERTA
A Defesa Civil se reuniu para informar à imprensa na manhã de ontem sobre a segurança da população nos dias chuvosos. De acordo com o Tenente Leônidas Santos, da Polícia Militar o intuito é levar informação para a comunidade local e da região. “Tivemos informações, recebemos avisos meteorológicos através do gabinete Militar, da Defesa Civil do Estado da proporção de chuva para este final de semana na região Sudeste, principalmente Minas Gerais. E nós estamos comunicando a população sobre as chuvas que cairão no final de semana”, ressalta.
O Tenente explica que as pessoas que virão para Divinópolis, que estarão na cidade, motoristas e pedestres devem ter atenção redobrada. “Ao estar deslocando de uma cidade para Divinópolis, fazer isso com segurança, ao chegar na cidade estacionar em local seguro e mesmo assim, dirigir com cautela. Em casa, fazer a conferência de quintais, limpeza de telhas, de calhas para uma melhor vazão da água”.
Santos acrescenta que as pessoas que estejam fora de casa durante o período chuvoso evitem passar por ruas inundadas, evitem atravessar um local desconhecido para evitar cair em buracos e bueiros. “Nós queremos evitar incidentes e acidentes para termos a preservação de vidas”, frisa o Tenente.
Segundo o Capitão Paulo César Gonçalves Fernandes do Corpo de Bombeiros, a partir da segunda quinzena de Dezembro há uma incidência maior de chuva na cidade e que a previsão é de que no final de semana até no início da semana as chuvas sejam fortes. “Diante da previsão para a nossa cidade achamos por bem retomar os contatos com os órgãos diretamente ligados para dar resposta à comunidade a fim de deliberarmos sobre as ações que serão tomadas, caso confirme a previsão meteorológica”.
O Capitão afirmou que neste final de semana o Corpo de Bombeiros terá a prontidão de incêndio com o efetivo reforçado em condições de dar apoio à comunidade. “Além do que, a Defesa Civil e a Polícia Militar, todos estarão em condições para uma atuação conjunta”, ressalta.
Para o coordenador da Defesa Civil, Adílson Quadros a população, principalmente ribeirinha deve estar atenta durante os temporais e acompanhar as notas dos órgãos de segurança pública pelos meios de imprensa. Quadros avalia que a Defesa Civil vem trabalhando desde 2009 com a prevenção retirando famílias da área de áreas de risco, tanto próximas ao rio quanto em áreas de deslizamento.
O coordenador explica que o rio subiu três metros até a tarde de ontem e que até cinco metros ainda é considerado alerta. “Até cinco metros, a gente fica em alerta total, e a aconselhamos os moradores a saírem de casa. A partir daí já é um risco muito grande, pois pode subir de repente. Mas, o rio está muito bem monitorado, todos os órgãos estão em alerta para este período”, frisou.
 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.