segunda-feira, 12 de Agosto de 2019 17:34h Atualizado em 13 de Agosto de 2019 às 09:43h. Ilidio Luciano

Vídeo homossexual foi causa do assassinato de cabeleireiro de 55 anos no bairro Planalto em Divinópolis.

Acusado de 25 anos alega que a vítima o estaria chantageando com a divulgação do vídeo e alega legítima defesa.

Ilídio Luciano

O cabeleireiro José Osvaldo Sobrinho, de 55 anos foi encontrado morto em sua residência, na última quinta-feira (08), com um corte no pescoço, provocado por uma faca. O golpe foi aplicado por Lucas Anacleto santos, de 25 anos.

A Polícia Civil de Divinópolis esclareceu o caso nesta segunda-feira (12), na sede da Delegacia Regional. O delegado Leonardo Pio, informou que o autor do crime se entregou no sábado (10), ele estava acompanhado de seu advogado e confessou ter assassinado José Osvaldo, por causa de um vídeo gravado pela vítima.

“Ele alega que manteve um relacionamento homo afetivo com a vítima, por aproximadamente um ano e que José teria gravado um vídeo íntimo dos dois e ele não queria que o vídeo permanecesse com a vítima. Na última quarta feira o autor foi até a residência do José Osvaldo, e pediu o celular onde estava gravado o vídeo. Os dois teriam entrado em luta corporal, e o José teria agarrado o autor pelas costas, para imobilizá-lo. O autor então viu uma faca que estava em cima de uma mesa, e de posse da arma desferiu um golpe no pescoço do José Osvaldo”, narrou.

Desde a quinta-feira, a Polícia Civil já monitorava Lucas, que já estava sendo procurado por ser o principal suspeito do homicídio. O delegado confirmou que um policial ficou de prontidão monitorando o suspeito, para que ele não escapasse da prisão. Ainda segundo Leonardo Pio, o autor sustentou a tese de ter aplicado o golpe contra a vítima, por legítima defesa.

“Ele sustentou que agiu em legítima defesa, uma vez que o José Osvaldo estaria ameaçando divulgar tal vídeo, segundo relato do autor. O Lucas estava procurando o celular na casa da vítima, revirou a casa em busca do aparelho, quando foi agarrado pelas costas pelo José que começou a agredi-lo”, reforça.

O autor do golpe está preso preventivamente por 30 dias, preventivamente, esse prazo pode ser prorrogado por igual período, a pedido da justiça. Lucas poderá ter de cumprir pena que pode variar entre 12 e 30 anos, já que está enquadrado nos crimes de homicídio qualificado e fraude processual, uma vez que ele pode responder também por subtração de bens alheios, pois o celular e a carteira do cabeleireiro não foram encontrados no local do crime.

© 2009-2019. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.