Brasil

Japão decide que ex-diretores de Fukushima devem pagar indenização

Acionistas exigiram US$ 160 bilhões por danos causados em acidente.

Uma corte de Tóquio proferiu veredito de que ex-diretores da Companhia de Energia Elétrica de Tóquio (Tepco) devem pagar indenização à empresa, conforme exigido por seus acionistas.

Acionistas alegam que a empresa sofreu perdas maciças decorrentes do acidente de 2011 na usina nuclear Fukushima 1.

Entre eles, incluem-se custos de descomissionamento dos reatores danificados da usina e indenização para residentes que tiveram que abandonar o local.

Os acionistas exigiam 22 trilhões de ienes, ou mais de US$ 160 bilhões de dólares, de cinco indivíduos que ocupavam cargos de gerência na época do acidente. Nesta quarta-feira (13) a Corte Distrital de Tóquio ordenou que quatro deles paguem um total de 13,3 trilhões de ienes, equivalente a cerca de US$ 97 bilhões.

O julgamento se centrou na credibilidade de uma avaliação de longo prazo de possíveis atividades sísmicas emitida por um painel governamental em 2002, nove anos antes do acidente.

Os acionistas argumentaram que a avaliação do governo era confiável, e que os responsáveis pela administração deveriam ter feito mais para garantir a segurança da usina contra um enorme tsunami que eles sabiam estar prestes a ocorrer.

Os ex-diretores da usina nuclear, por outro lado, argumentaram que a avaliação do governo não era confiável, e que, portanto, não teria sido possível prever estragos de um grande tsunami. Também argumentaram que, mesmo que tivessem feito algo, não teriam tido tempo para tomar as medidas preventivas necessárias.

Os acionistas entraram com o processo judicial em 2012. Em outubro do ano passado, o juiz que preside o caso inspecionou o complexo da usina pela primeira vez.

Fonte: Agência Brasil

Receba as reportagens do Portal G37 em primeira mão através do nosso grupo de WhatsApp: https://chat.whatsapp.com/Ipn5sNVqaDc7WwATXAwFsF

Botão Voltar ao topo
%d blogueiros gostam disto:

Bloqueador de Anúncio Detectado

Nosso conteúdo é gratuito e o faturamento do nosso portal é proveniente de anúncios. Desabilite o seu bloqueador de anúncios para ter acesso ao conteúdo do Portal G37.