Política

Luciana Santos se desincompatibiliza do Sintram para disputar uma vaga na ALMG

Vice-presidente Wellington Silva assume a gestão do Sindicato à partir de quinta-feira, 2.

A presidente do Sindicato dos Trabalhadores Municipais de Divinopolis e da Região Centro Oeste (Sintram), Luciana Santos deixa hoje, 31 o cargo temporariamente para disputar uma vaga na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) pelo PSD. Luciana oficializou seu afastamento temporário à diretoria do Sintram no dia 17 de maio.

Servidora pública há 25 anos, Luciana Santos está na atividade sindical desde 2012, quando foi eleita Secretária Geral, na chapa então liderada pelo professor João Madeira. Em 2015, foi eleita para seu primeiro mandato como presidente do Sintram para o triênio 2016/2018. Luciana Santos foi reeleita para seu segundo mandato obtendo a expressiva marca de 64,37% dos votos válidos. A chapa formada por ela, e por Wellington Silva recebeu 1.301 votos, contra 720 da chapa adversária.

Luciana destaca as dificuldades vencidas durante o seu segundo mandato, como o fim da obrigatoriedade da contribuição sindical, e a pandemia da covid-19. A presidente do Sintram reforça que apesar dos obstáculos, um legado de comprometimento e responsabilidade foi construído ao lado da atual diretoria.

“Em 2021 nós entregamos uma sede totalmente renovada para os servidores públicos municipais, além da construção e conclusão de planos de carreira de diversas cidades, foi feita uma importante expansão no nosso cartão de compras, aumentamos os serviços oferecidos aos nossos associados e conseguimos garantir direitos que estavam ameaçados. Na maioria de nossas cidades além do reajuste da inflação os servidores tiveram também ganho real nos salários”, destaca.

GESTÃO

Wellington Silva, assume a gestão do Sindicato à partir da próxima quinta-feira, 2 de junho. Servidor público há 25 anos, o vice-presidente do Sintram já fez parte de diversas comissões de negociação salarial, e da comissão de servidores que garantiu em Divinópolis a criação da Lei Nº 8.083/2015 (Lei do Gatilho Salarial), e ajudou a liderar a greve dos servidores públicos municipais em 2016. Em sua trajetória Wellington estão ainda liderança comunitária, e estudantil, na UEMG.

“Nós vamos dar sequência a essa eficiente gestão que conseguiu driblar vários obstáculos. As nossas lutas em prol dos direitos dos servidores públicos municipais continuarão, lutaremos de forma incansável para que a categoria tenha os seus direitos preservados, e para que avancemos em outras demandas. Nós reforçamos, mais uma vez, o nosso compromisso em dar o nosso melhor para os servidores públicos municipais”, conclui.

Fonte: Sintram

Receba as reportagens do Portal G37 em primeira mão através do nosso grupo de WhatsApp: https://chat.whatsapp.com/Kw8glgN7LBV6viJLVheNmd

Botão Voltar ao topo
%d blogueiros gostam disto:

Bloqueador de Anúncio Detectado

Nosso conteúdo é gratuito e o faturamento do nosso portal é proveniente de anúncios. Desabilite o seu bloqueador de anúncios para ter acesso ao conteúdo do Portal G37.