Minas Gerais

Adaptação, aprendizado e orgulho: UFSJ volta às aulas presenciais.

Após dois anos da pandemia de covid-19, a Universidade Federal de São João del-Rei inicia nesta segunda, 21 de março, um semestre letivo de forma presencial. Momento esperado por muitos alunos, técnicos, professores, colaboradores e comunidades que tanto se desenvolvem com as atividades presenciais da instituição. Hora de refletir sobre os desafios e o que vem pela frente, tanto para os mais de 13 mil graduandos quanto para quase dois mil pós-graduandos.

“Depois de dois anos de pandemia, estamos ansiosos para ver o movimento nos campi, nas salas de aula, nos laboratórios, nos pátios, anfiteatros”, celebra a professora Elisa Tuler, pró-reitora de Ensino de Graduação. Elisa lembra como foi grande o desafio de implantar períodos remotos, garantir que os semestres letivos não se perdessem. “Tivemos sucesso nesse aspecto e, principalmente, na preservação da saúde e vida de toda nossa comunidade.”

São 13.681 alunos na graduação da UFSJ, dos quais 12.839 cursam graduação presencial. A maior parte deles está em São João del-Rei, nos campi Tancredo Neves (CTAN, 3.565 alunos), Dom Bosco (CDB, 2.241 estudantes) e Santo Antônio (CSA, 2.201). No Campus Alto Paraopeba (CAP), são 2.334 graduandos; em Divinópolis (CCO), 1.490; e em Sete Lagoas (CSL), 1.008. Números que podem subir ainda mais nas próximas semanas, com as convocações e matrículas do Sisu 2022-1.

Adaptação e aprendizado

“A adaptação ao trabalho e ao ensino remoto foi difícil para todos nós, mas conseguimos evoluir, aprendemos muito com os recursos tecnológicos que passamos a usufruir desde então”, declara Maria da Penha Resende Rodrigues, diretora da Divisão de Acompanhamento e Controle Acadêmico da UFSJ (Dicon). A Divisão, por sinal, exerce um papel direto para o bom andamento do semestre. É a unidade que acompanha a vida escolar dos discentes, desde seu ingresso até a diplomação.

Um dos desafios citados por Penha, além da preocupação em seguir o Protocolo de Conduta e Biossegurança da UFSJ para a pandemia de Covid-19, é a implantação de um novo sistema acadêmico, o SIGAA (Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas). “A expectativa para o novo Sistema é grande, mas temos certeza de que será um grande avanço para toda a comunidade acadêmica.”

Orgulho dos pesquisadores

“Nós, pesquisadores, precisamos nos orgulhar muito, porque o retorno presencial só está sendo possível graças à resiliência, agilidade, dedicação e trabalho de pesquisadores de todo o planeta.” As palavras do professor André de Oliveira Baldoni, pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação, são mais um apoio ao árduo trabalho de pesquisadores, ao longo desses dois anos de pandemia, em busca de vacinas, testes, tratamentos e medidas de proteção.

A expectativa do pró-reitor é grande para receber os 1.424 estudantes de pós-graduação. “É um momento desafiador para todos nós, mas com os protocolos de biossegurança, os trabalhos das comissões da UFSJ, e com a sensação de que estamos vencendo esse momento desafiador que o planeta vive, nós conseguiremos um retorno presencial, seguro, exitoso e prazeroso para todos.”

Botão Voltar ao topo
%d blogueiros gostam disto:

Bloqueador de Anúncio Detectado

Nosso conteúdo é gratuito e o faturamento do nosso portal é proveniente de anúncios. Desabilite o seu bloqueador de anúncios para ter acesso ao conteúdo do Portal G37.