Política

Sancionada Lei proposta pelos Deputado Cleitinho Azevedo e Bartô que proíbe estado de adquirir bens de luxo

Foi publicada e sancionada nesta quinta (21), pelo Governador Romeu Zema, a alteração na Lei Lei 14.167, de 2002, proposta dos Deputados Estaduais Cleitinho e Bartô e que a partir de agora proíbe em Minas Gerais que os três poderes façam gastos com artigos e bens de luxo.

A Lei estabelece que o s recursos de consumo adquiridos para suprir as demandas das estruturas dos Poderes deverão ser de qualidade comum, não superior à necessária para cumprir as finalidades às quais se destinam, vedada a aquisição de bens de luxo, proibindo por exemplo, compra de itens como lagosta, caviar, vinhos importados e outros.

A proibição também se aplica à locação e à contratação de serviços, sendo aplicada a todas as modalidades de licitação, inclusive em casos onde há dispensa da mesma. Não será enquadrado como bem de luxo aquele “que for adquirido a preço equivalente ou inferior ao preço do de qualidade comum da mesma natureza”. 

O Projeto de Cleitinho e Bartô tem por objetivo impedir gastos exorbitantes, no serviço público, com artigos tidos como de ostentação e leva em conta a nova normatização federal a respeito, trazendo conceitos de bem de luxo, de qualidade comum e de consumo.

Receba as reportagens do Portal G37 em primeira mão através do nosso grupo de WhatsApp: https://chat.whatsapp.com/C8RrNKLEyvQ8dsEU0nCJlo

Botão Voltar ao topo
%d blogueiros gostam disto:

Bloqueador de Anúncio Detectado

Nosso conteúdo é gratuito e o faturamento do nosso portal é proveniente de anúncios. Desabilite o seu bloqueador de anúncios para ter acesso ao conteúdo do Portal G37.